Você colocou aparelho recentemente e já está todo ansioso para ver seus dentes bem alinhados. Só que é preciso de alguns meses até o tratamento surtir efeito. Para que esse resultado chegue logo é importante adotar cuidados higiênicos e fugir de todos os problemas que podem atrasar o ciclo ortodôntico. Você sabe quais são eles? Com ajuda da especialista Andréia Cotrim, o Sorrisologia separou cenários em que a terapia precisa ser pausada e indicou algumas maneiras de evitar essas situações.

O maior problema é a gengivite

Antes de qualquer coisa, é importante saber que para começar um tratamento ortodôntico, a exigência mínima para todo paciente é que ele tenha uma boca saudável. Andréia esclarece que quando há algum tipo de problema, este deverá ser resolvido antes de colocar o aparelho dentário. Entretanto, existem casos em que a pessoa apresenta alterações ao longo desse período ortodôntico, como a gengivite. “Essa doença se dá frequentemente pela falha da higiene bucal em pacientes que usam o acessório”, comenta.

Esse tipo de alteração é facilmente percebida pelo ortodontista. O paciente começa a apresentar sangramento gengival e uma hiperplasia, ou seja, aumento da gengiva. “Nesses casos, muitas vezes, é aconselhável remover o fio do aparelho ortodôntico para facilitar a higiene interdental e, em seguida, encaminhar o paciente para seu dentista clínico”. Lá, ele deverá fazer uma profilaxia, aquela higiene caprichada feita por um profissional para retirar o acúmulo de placa bacteriana ou de tártaro. Assim a pessoa consegue recuperar a saúde gengival. Após isso o tratamento continuará sem problemas.

Uma cárie pode pausar o tratamento

Quem diria que essa vilã seria capaz de pausar seu tratamento ortodôntico? A profissional explica que quando um paciente tem cárie, deve ser encaminhado para o seu dentista clínico. Caso seja necessário, o odontologista solicita a remoção temporária do fio e bráquete do dente lesionado para terapia. Mas esse procedimento não interrompe o tratamento como um todo. “É necessário apenas uma breve pausa para que os cuidados clínicos possam ser realizados corretamente”, tranquiliza.

As interrupções podem atrapalhar o ciclo ortodôntico?

Essas pequenas pausas no tratamento são muito breves, por isso, não ocorre nenhuma perda dos resultados já obtidos. O que pode acontecer é um pequeno atraso na correção dos dentes pela ausência do acessório naquele período. “Caso a interrupção seja mais longa, há recursos terapêuticos que permitem a imobilização dos dentes”, esclarece.

Em quanto tempo a terapia deve ser retomada?

Nos casos mais simples, em que as peças do aparelho são retiradas para cuidar de uma cárie, por exemplo, o tratamento pode ser retomado assim que o dentista determinar alta. “Na eventualidade de alguma terapia endodôntica, a interrupção da terapia poderá variar de seis meses a um ano, dependendo da gravidade da lesão”, conclui. Para evitar qualquer problema que possa atrapalhar o tratamento, é importante realizar a higiene ortodôntica do jeito certo e frequentar as consultas ao ortodontista sempre que necessário.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Andréia Cotrim Ferreira - Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP: 39000