Tem quem ache que só existe cárie se houver dor ou alguma alteração visível no dente. Porém, é preciso ficar bem mais atento e não confiar apenas no que você vê ou sente. Você já ouviu falar da cárie oculta? Essa inimiga bucal é tão desagradável que pode até mesmo ficar escondida nos dentes. Apesar de ser um caso mais raro do problema, pode, sim, acontecer e prejudicar sua saúde bucal. Fique de olho no Sorrisologia e saiba como se livrar dessas vilãs. Para entender sobre esse tipo, veja as explicações da dentista Fabíola Chaves.

O que é a cárie oculta?

Para começar a compreender sobre esse tipo de cárie, a profissional definiu ela: “O termo cárie oculta vem sendo utilizado para descrever lesões de cárie na dentina sob superfície do esmalte dental, que aparentemente está saudável, porém desmineralizado por dentro”, afirma. Essa doença "invisível" ocorre quando a cavidade ultrapassa rapidamente o esmalte dental e as bactérias alcançam a dentina tomando conta do dente internamente.

A cavidade no esmalte é tão pequena que praticamente não conseguimos ver a olho nu. Já na dentina, o tecido fica amolecido e, antes que se perceba, a polpa dental é atingida. Vendo por fora o dente parece intacto e sem problemas, mas na verdade ele possui apenas uma “casca” de esmalte com algumas manchinhas. Perigoso, né?

Quais são as causas desta cárie?

Segundo Fabíola, esse problema não possui uma justificativa bem definida. No entanto, existem algumas hipóteses que podem ser consideradas.

- Defeitos estruturais no dente.

- Uso de fluoretos que fortalecem o esmalte dentário, mas não a dentina. Assim, através das fissuras na superfície oclusal, ocorre contaminação e destruição do tecido dentário, mas não do esmalte.

- A ingestão frequente de açúcares, em especial do tipo sacarose e a alta exposição aos fluoretos.

Invisível, mas não para os dentistas

Para descobrir este problema oculto é preciso investigar mais a fundo, por isso a importância de visitar seu dentista com frequência. “Muitas vezes não é diagnosticado no exame clínico de rotina, só através de radiografia interproximal”, explica a profissional. Por isso, é preciso fazer o exame de raio-x do dente para ver se a cárie está realmente escondida lá dentro. Nesse procedimento, o profissional não só identifica a doença como também o quanto o local está afetado.

Como eliminar essa vilã?

Para que esta cárie desapareça do dente, o tratamento mais indicado é a restauração dentária. Um procedimento bem simples que permite recuperar as formas e funções dos seus dentes, que antes estavam cariados. E tudo isso sem sofrer as dores, já que o procedimento usa anestesia local. Para isso é preciso ir ao dentista o quanto antes para que o diagnóstico seja feito o quanto antes. Caso contrário, a solução será um tratamento de canal ou extração do dente. Melhor não esperar!

Higiene bucal + visita ao dentista

Como prevenir é sempre a melhor forma de evitar essas cáries chatinhas, a periodontista Fabíola indica o que fazer. “Evite o consumo de açúcar refinado, faça sua higiene oral adequadamente e visite regularmente o seu dentista". Simples, né? Por isso, creme dental que combate o açúcar dos dentes é tão eficaz nesse momento, ele neutraliza os efeitos nocivos dos açúcares ingeridos no dia a dia, não só prevenindo o surgimento da cárie, como reparando o problema caso ele já tenha se manifestado. 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Fabíola Chaves Fernandes - Especialista em Periodontia e Odontogeriatria
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 20417