É muito comentado como a cárie é comum durante a infância. No entanto, essa doença não acontece somente nesta faixa etária. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cárie é a doença bucal mais comum, afetando a grande maioria da população. É também uma doença infecciosa e transmissível, por isso o tratamento é tão importante. O dentista Daniel Cohen nos conta maneiras eficazes de se prevenir.

O que preciso fazer para me prevenir de cáries?

A cárie é uma doença que corrói o esmalte do dente, podendo prejudicar toda sua estrutura, devido à ação de bactérias que produzem ácidos. Essa destruição pode chegar até a camada inferior do dente, a dentina. Por isso, é muito importante a escovação dos dentes após as refeições com um creme dental que contenha flúor, e completar a limpeza com o enxaguante bucal indicado pelo seu dentista.

É aconselhável ainda que o paciente mantenha suas consultas periódicas ao cirurgião-dentista. Pelo menos, uma vez ao ano, deve ser realizada uma avaliação por meio de um exame clínico. Ou seja, é feito um questionário de saúde, denominado anamnese, e o exame físico, extraoral e intraoral (com a avaliação dos dentes).

Por que preciso fazer?

Esse comportamento é uma forma eficaz de precaução, pois minimiza o risco do paciente apresentar lesões iniciais de cáries. Muitas vezes, essas lesões, se não tratadas logo, evoluem para outras extremamente destrutivas, podendo, por exemplo, precisar de tratamento endodôntico (canal). “Caso sejam diagnosticadas no seu estágio inicial, este paciente pode apresentar o controle destas lesões cariosas pelo especialista, evitando problemas maiores no futuro, como até a perda de dentes,” diz o dentista. Por isso, a importância do diagnóstico de um especialista sem demora.

É possível ter cárie várias vezes?

Há pacientes que apresentam mais propensão de desenvolver cárie, como os que possuem amelogênese imperfeita, uma característica hereditária que altera o desenvolvimento. “Existem vários tipos, mas resumindo, elas levam a uma má formação do esmalte que, dependendo do grau, pode levar até mesmo à sua perda completa durante o desenvolvimento. Sem a proteção do esmalte dentário, a dentina (tecido subjacente) fica muito mais suscetível não somente ao desgaste dentário como também à doença cárie, na presença da tríade de Keyes,” lembra o profissional. Não deixe de procurar seu dentista e seguir todas as recomendações para manter seus dentes protegidos e um hálito sempre refrescante.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267