Descobrir que está com uma cárie é uma situação bem chata, mas não deve ser vista como o fim do mundo. Alimentação e má higiene bucal são as principais responsáveis por esse quadro, é totalmente possível recuperar a saúde dos dentes com a ajuda de um profissional. “Não é novidade que o maior vilão para os dentes é o alto consumo de açúcar associado a uma baixa escovação. Essa é a fórmula perfeita pro desenvolvimento carioso, sobretudo na infância”, alerta a endodontista Sofia Cabaleiro. O Sorrisologia conversou com a especialista e ela explicou de que forma o tratamento pode ajudar a restabelecer o sorriso do paciente. Confira a seguir!

Como identificar a cárie?

Normalmente as pessoas associam a cárie a um pequeno buraco no dente que causa muita dor, mas nem sempre é assim que ela se manifesta. Na verdade, essa imagem é de quando a situação piorou e a cárie se agravou, mas é possível perceber que a monstrinha está se infiltrando no seu sorriso bem antes. “O primeiro sinal da cárie é o surgimento de manchas brancas nos dentes, normalmente elas aparecem próximas ao contorno gengival”, conta a especialista. Dessa forma, a evolução e não intervenção dessas manchas brancas podem evoluir para uma cavitação, que é o famoso "buraquinho" que então surge, caracterizando a imagem clássica da cárie.

O que fazer quando a cárie aparece?

Se a cárie ainda estiver no estágio inicial, a profissional orienta que apenas uma mudança de hábito e a aplicação tópica de flúor podem promover a remineralização e desativação do processo carioso sem problemas. No entanto, se o quadro já tiver se agravado e a cavitação já tiver se instalado na estrutura dentária, o tratamento mais adequado é através da restauração com resina composta ou outro material restaurador de escolha. Se o caso for ainda mais grave, estabelecendo um quadro de cárie profunda que tenha afetado diretamente a polpa dentária, o mais indicado é o tratamento de canal.

Tratamento é importante para devolver saúde aos dentes

O tratamento é fundamental para restabelecer a estética e função dos dentes, devolvendo assim sua saúde e melhorando a autoestima do paciente. “Uma cárie não tratada causa dor, infecção, problemas estéticos e sociais. Por isso que, assim que o paciente observar alguma alteração de cor ou sintoma de sensibilidade que fuja do comum, é importante buscar ajuda profissional para o diagnóstico cárie e tratamento da cárie”.
Além disso, a especialista alerta que se o dente é restaurado e o paciente não muda os hábitos de higiene oral, pode ocorrer uma infiltração e uma cárie se desenvolver no mesmo local que ocorreu a primeira. “O recomendado é que após um episódio de cárie, o paciente se conscientize que é necessário mudar os hábitos para que isso não se repita, além de aderir ao conceito de retornar ao dentista periodicamente para prevenir novos casos de cárie ou infiltração”.

O dentista não deve ser esquecido

Mesmo que o tratamento seja concluído, o paciente não deve deixar de ir ao dentista regularmente. O acompanhamento de um profissional é fundamental para verificar como anda a saúde dos seus dentes, já que ele é capaz de localizar focos de placa, restaurações mal adaptadas e manchas sugestivas de cáries. “O diagnóstico precoce favorece um tratamento mais simples e menos oneroso ao paciente”, indica a especialista. Por isso, é importante que o paciente não deixe de retornar ao seu dentista a cada 6 meses, sobretudo se houver histórico de cáries e restaurações. “Fazer uma averiguação periódica é a melhor maneira de manter a integridade de seus dentes e uma boa saúde bucal!”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Sofia Cabaleiro - Endodontista
Belo Horizonte, MG
CRO-MG: 34919