Nos últimos anos, os estudos sobre o câncer aumentaram consideravelmente. Este fato está relacionado ao aumento de pacientes e previsões de diagnósticos da doença. A descoberta do quadro em estágio inicial é uma importante etapa e isso também vale para o câncer bucal. No entanto, esse tipo de doença ainda no começo pode ser confundido com aftas. Veja as orientações do dentista Murilo Perrella e entenda quais são os sinais do câncer bucal.

Saiba os sintomas iniciais do câncer bucal e como ele é confundido com aftas

De acordo com o profissional, durante o estágio inicial, os primeiros sinais do câncer de boca podem variar desde pequenas manchas de coloração diferente da gengiva até aftas maiores. “O câncer em seu estágio inicial, por se assemelhar por vezes a algumas lesões benignas, pode ter um aspecto de afta. A diferença é que não há melhora com o passar dos dias”, explica ele. É importante destacar que as aftas são caracterizadas por cicatrizarem em, aproximadamente, 14 dias. Por isso, fique atento caso essas lesões prevaleçam e é indicado procurar um especialista.

Qual é a importância de tratar o câncer bucal logo no início?

Assim como vale para os diferentes tipos de câncer, a descoberta da doença na fase inicial faz uma grande diferença, contribuindo para o andamento de um tratamento mais eficaz e altas chances de cura. “O cirurgião dentista, ao avaliar uma lesão suspeita, poderá realizar uma biópsia de um pequeno fragmento e enviar para análise no laboratório”, esclarece Murilo.

Para os pacientes em que o diagnóstico inicial de câncer é confirmado, estes são encaminhado para o médico especializado. Como o câncer bucal pode ser bem agressivo e crescer de maneira rápida, essa descoberta precoce é importante. “Quanto maior a demora para iniciar o tratamento, maior se tornará a lesão, e o tratamento mais difícil”, alerta o profissional.

Entenda como é realizado o tratamento contra o câncer bucal

Desde a descoberta, o paciente com câncer deve tomar diversos cuidados para seu bem-estar. A escolha do tratamento ideal para o caso vai depender do tipo de câncer que o indivíduo apresentar. “As técnicas mais comuns podem envolver cirurgia para retirada da lesão, quimioterapia ou radioterapia, como também uma combinação de técnicas”, orienta o dentista. Dessa forma, o ideal e indicado é se consultar para descobrir qual é a melhor maneira de cuidar do quadro. O médico será responsável por uma análise criteriosa, requisitando exames complementares e biópsia da lesão a fim de obter melhores respostas.