Aquela placa amarelada que se forma nos dentes é conhecida como o famoso tártaro, também conhecido como cálculo dental, que se formou sobre os seus dentes e está indicando que talvez seja uma boa hora de você visitar o seu dentista. Você certamente já ouviu falar sobre o problema, ou já até vivenciou uma situação parecida, mas o que você realmente sabe sobre ele? O Sorrisologia entrevistou a cirurgiã-dentista Camila Stofella Sodré, que esclarece algumas questões sobre a patologia a seguir. Confira!

Cálculo e tártaro: existe diferença?

Apesar dos nomes diferentes, cálculo e tártaro são a mesma coisa e é um problema que pode interferir (e muito) no sorriso do paciente! “Ele consiste no endurecimento da placa bacteriana ou do biofilme dental presente na superfície do dente”, explica a especialista. Dessa forma, ele acaba adquirindo um aspecto de crosta de cor amarelada ou esbranquiçada.

Como o tártaro é formado?

Segundo a dentista, o tártaro pode ser formado sob a gengiva ou superfície dentária e acontece devido à calcificação da placa bacteriana que não foi removida corretamente durante a escovação dos dentes. Ou seja, o problema está diretamente ligado a uma boa higiene bucal, e se o paciente não cuidar do problema, as consequências podem ser um tanto desagradáveis. “Além de prejudicar a saúde dos dentes e gengivas, o tártaro não é estético e absorve manchas com maior facilidade. Pode também propiciar a ocorrência de cárie e a gengivite”, alerta.

Tratamento é feito por meio de raspagem

Se o tártaro se instalou no seu sorriso, não tem jeito: você precisa ir ao dentista para que um profissional resolva o problema. A remoção das placas calcificadas acontece por meio da raspagem, que é feita com instrumentos especiais e técnicas que apenas um especialista é capaz de desenvolver, segundo Camila. “Uma simples escovação é capaz de prevenir o tártaro, mas não de removê-lo devido a sua dureza”, explica.

5 dicas de como prevenir o tártaro

• Escovar os dentes regularmente pelo menos 3 vezes ao dia, após as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar)
• Optar por cremes dentais específicos, como o anti tártaro
• Usar fio dental
• Incluir o enxaguante bucal na rotina de higiene diária
• Visitar regularmente o dentista e realizar limpeza e profilaxia dentária (limpeza) de 6 em 6 meses

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Camila Stofella Sodré - Especialista em prótese dentária
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 40419