O bruxismo atinge cerca de 30 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados do Congresso Internacional de Odontologia. Mas aposto que você nunca pensou que a substância usada como procedimento estético para minimizar rugas pode ser aplicada para o controle da disfunção. É isso mesmo, a toxina botulínica alivia os sintomas do bruxismo. Quem conta como o medicamento é usado nesse tratamento odontológico e as suas indicações é o especialista Vinícius Barçal. 

Não tem cura, mas é possível controlar

O bruxismo é uma atividade parafuncional diurna e/ou noturna que inclui o apertamento ou ranger dos dentes. As consequências desse problema podem acarretar em lesões orofaciais, como o desgaste dos dentes, lesão periodontal, distúrbios da articulação temporomandibular (ATM) e dor muscular. Essa doença não tem cura, porém há como controlar esse desvio e um dos métodos que vem sendo cada vezes mais utilizado é com a toxina botulínica.

Ação da toxina botulínica no bruxismo

Não se sabe ao certo a fisiologia do bruxismo. O que acontece é uma alteração no Sistema Nervoso Central que levam a uma hiperatividade motora dos músculos da mastigação, principalmente os chamados masseteres e temporais, e isso gera o apertamento ou ranger dos dentes. E é exatamente nessa alteração que a toxina botulínica atua. "A Toxina Botulínica age inibindo esta hiperatividade, reduzindo a contração muscular. Este bloqueio se dá através do mecanismo da não-liberação do neurotransmissor responsável pela propagação da contração muscular, chamado de acetilcolina", explica.

Benefícios

Um dos maiores benefícios de se usar a toxina botulínica no controle do bruxismo é a sua ação ser independente de fatores externos. "Como a atuação da TB age diretamente sobre os músculos envolvidos no processo do bruxismo, seu efeito independe da colaboração dos pacientes e age 24 horas por dia". O medicamento controla tanto o bruxismo noturno quanto o diurno, segundo o especialista.

As vantagens do tratamento não param por aí. Segundo Vinícius, a toxina botulínica impede a propagação de desgastes e fraturas dos dentes. "Estudos e evidências clínicas têm demonstrado significativas melhoras nos índices de dor muscular e na qualidade de sono dos pacientes tratados com a toxina botulínica".

Indicações

A maioria dos pacientes que apresentam bruxismo pode fazer o tratamento. O especialista ressalva apenas para que a quantidade aplicada não exceda a 100 unidades de toxina botulínica e para as contraindicações já conhecidas ao medicamento, como uso recente da vacina antitetânica, transtornos neuromusculares generalizados, gravidez e lactação, pacientes em uso de alguns antibióticos e pacientes alérgicos à lactose e à própria toxina botulínica.