Dentes tortos é algo que ninguém quer ter, certo? Daí você pode pensar que por ter chegado na fase adulta com os dentes todos certinhos, não corre mais o risco de passar pelo problema. Na verdade não é bem assim. Existem problemas bucais que, se não forem tratados adequadamente e o quanto antes, leva a esse quadro. E que problemas seriam esses? Conversamos com o cirurgião bucomaxilofacial Diego Limoeiro para entender mais sobre o que pode causar o entortamento dos dentes.

O bruxismo é um fator de risco

O bruxismo é um ato inconsciente. Por isso muita gente não tem ideia de que possui o problema e, muitas das vezes, só se dá conta quando está avançado, causando demais complicações nos dentes e regiões próximas. Diego conta que essa desordem funcional também gera o estreitamento dos dentes. "Em alguns casos, onde já há uma doença periodontal instalada, ocasionada ou não pelo bruxismo, podem haver mudanças de posicionamento dentário, embora não seja o mais comumente visto".

O tratamento ortodôntico pode ser a solução?

O tratamento com aparelho fixo se torna essencial quando já existe uma má oclusão e entortamento dos dentes. Entretanto, o especialista afirma que não é o tratamento certo para curar o bruxismo. "Este é um problema dito de origem central, ou seja, sua origem está no sistema nervoso. Portanto, se não tivermos o controle do bruxismo, não adiantará o uso de aparelhos ortodônticos". Dependendo do caso, os cuidados envolvem o uso da placa estabilizadora ou consultas com um terapeuta. Para manter o seu sorriso alinhado, trate desta complicação o quanto antes. No momento em que perceber algum tipo de dor ou incômodo nos dentes e na região do maxilar, procure seu dentista.

É possível evitar o entortamento dos dentes?

Nesse caso, a melhor forma de tratar o possível entortamento é tendo o controle do bruxismo, seja ele do sono ou em vigília, que é mais difícil de controlar. "O correto diagnóstico com um profissional especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial ou em odontologia do sono, é a melhor forma para ajudar o paciente". Ele colabora não só na identificação do bruxismo, como também dos fatores de risco e o plano de tratamento adequado.