Um sorriso bonito e saudável vai muito além de dentes branquinhos e alinhados. Por isso, é importante ficar atento aos problemas que podem aparecer e comprometer a saúde bucal, como as doenças periodontais, que afetam a gengiva. Essas enfermidades normalmente são caracterizadas pela presença de bolsa periodontal na região. Mas afinal, do que se tratam essas bolsas? Conversamos com a odontologista Heloísa Crisóstomo e ela explicou o que você precisa saber sobre o assunto.

O que é uma bolsa periodontal?

De acordo com a especialista, as bolsas periodontais são espaços patológicos entre a gengiva e o dente, formados normalmente pelo acúmulo de placa bacteriana no local. Esse espaço é chamado de sulco gengival, e ele pode ser considerado saudável até no máximo 3 milímetros - se passar disso, já é formada a bolsa periodontal. Essas bolsas, por sua vez, podem ser divididas em dois tipos: as profundas e as rasas. “Quanto maior a profundidade de sondagem, maior a perda óssea e, consequentemente, pior o prognóstico de regeneração óssea naquela região”, explica a profissional. Já quando a bolsa é rasa, há maior possibilidade de regeneração óssea e melhora a sobrevida do dente de suporte.

Bolsa periodontal e periodontite: qual a relação?

As bolsas periodontais são perdas ósseas verticais, enquanto que a periodontite é a inflamação do tecido de suporte do dente (periodonto) que gera perda óssea horizontal, segundo a dentista. É comum a presença de bolsas periodontais quando o paciente desenvolve a periodontite, mas isso não é uma regra. No estado inicial da doença, pode ser que essas bolsas não tenham surgido ainda - mas elas podem vir a acontecer. De qualquer forma, é sempre bom ficar atento à saúde da gengiva, pois a evolução desses problemas podem ocasionar a perda dos dentes.

O diagnóstico deve ser feito por um especialista

Para saber se há a presença ou não de bolsa periodontal, o paciente deve procurar um profissional qualificado. Dessa forma, o diagnóstico pode ser feito clinicamente através de uma sonda milimetrada periodontal. A odontologista conta que nessa técnica o dentista posiciona o instrumento entre a gengiva e o dente, inserindo-o até o paciente sentir confortável ou até o limite ósseo. Com isso, faz-se a medição e pode-se obter o tamanho da bolsa periodontal, da perda óssea vertical. “Radiograficamente, podemos também notar uma ausência de osso em uma ou mais face do dente”, acrescenta.

Existe tratamento para eliminar as bolsas periodontais?

Segundo Heloísa, o tratamento básico consiste na raspagem da região para que as bactérias contaminantes presentes no local sejam removidas de forma segura. Além disso, hoje também existe a possibilidade de tratamento a laser, que é uma alternativa que ajuda bastante na morte dessas bactérias. Para entender qual é a melhor solução para o seu caso e receber maiores orientações, converse com o seu dentista.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149