A sensação de boca seca que em um primeiro momento pode ser apenas sede, quando investigada a fundo pode apresentar um sintoma mais sério. O primeiro passo é consultar um dentista para entender o que está causando o sintoma, pois o quadro, quando constante, pode ter várias explicações, podendo ser um ressecamento da mucosa bucal provocado por falta de saliva ou ser apenas uma sensação incômoda, sem a diminuição na produção salivar, chamada de xerostomia. Ao perceber que o mau hálito também tem sido comum, pode ser um indicativo desses problemas bucais. Veja o que explica o dentista Maurício Duarte sobre o assunto.

As causas mais comuns para a sensação de boca seca

As causas mais comuns da boca seca são o efeito colateral de certas medicações como os antidepressivos, ansiolíticos, antialérgicos, anti-hipertensivos, diuréticos, sedativos, entre outras. Além disso, alterações emocionais como o estresse excessivo, depressão e ansiedade e doenças como o diabetes, hipertensão arterial e as doenças autoimunes também causar a diminuição da produção de saliva. “Alguns tratamentos médicos podem comprometer as glândulas salivares e afetar a produção salivar como a radioterapia de cabeça e pescoço e quimioterapia, em casos de tratamento de câncer”, acrescenta o especialista.

Boca seca x xerostomia: qual a diferença?

Sob a visão odontológica, a sensação de boca seca é uma causa do ressecamento da mucosa bucal. Segundo o dentista, esse sintoma pode ser chamado de hipossalivação e acontece devido à falta de produção salivar. No entanto, quando a percepção é somente de uma sensação, sem que o paciente realmente sinta uma redução na produção de saliva, ela é chamada de xerostomia. Esse problema é muito comum para pessoas que possuem respiração bucal ou roncam frequentemente ao dormir.  

Boca seca pode provocar mau hálito!  

O ressecamento bucal, a hipossalivação e a xerostomia são três problemas distintos que causam a sensação de boca seca e, de acordo com a dentista, podem provocar mau hálito no paciente. “O ressecamento bucal aumenta a descamação de células epiteliais da mucosa bucal, que se depositarão na língua e serão decompostas pelas bactérias que se alimentam dessas células, gerando a formação de maus odores nesse processo”, esclarece Maurício.

Saiba quais são os tratamentos adequados para boca seca

Para o especialista, o tratamento depende da função das glândulas salivares estar ou não preservada. “Se estiver, o tratamento consiste em estimular a produção de saliva com sialogogos, que são estimuladores da salivação mecânicos pela mastigação, gustativos e farmacológicos (medicações)”, diz. Outra opção que profissional cita é o uso de laser, do TENS (neuroestimulação elétrica transcutânea) ou da acupuntura. “Caso a função já tenha sido comprometida, o tratamento terá como objetivo trazer conforto ao paciente e limitar os danos. Nesse caso utilizam-se os substitutos salivares e a saliva artificial”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Maurício Duarte da Conceição - Pós-graduado em Halitose e Especialista em Dentística Restauradora e Halitose
CRO-SP: 34.205