Escovar os dentes é um momento de limpeza e cuidados, mas também é uma boa hora para avaliar como anda sua saúde bucal. Se nesse momento você notar uma espuma avermelhada quando for cuspir aquele excesso de creme dental, pode ser um aviso de gengivite, a famosa gengiva inflamada. Além deste momento corriqueiro, existem várias outras formas de perceber a doença, como o autoexame bucal. É melhor ficar de olho para o problema não virar uma periodontite. A dentista Heloísa Crisóstomo mostra como identificar e tratar da inflamação.

Gengiva inflamada x gengiva saudável

Assim como os dentes, a gengiva também muda de coloração e textura quando está passando por problemas. E o paciente precisa saber as diferenças destas características para, se preciso, tomar alguns cuidados. Heloísa faz essa comparação. "A gengiva saudável é rosa, com aspecto de 'casca de laranja' e não sangra facilmente. Já a inflamada fica flácida e muito sensível ao sangramento". Se você perceber constantemente o sangramento na gengiva durante a higiene bucal, não perca tempo e procure seu dentista.

Identificando o problema através do autoexame

Para fazer o autoexame é fácil. Basta ficar bem à vontade em frente a um espelho com boa iluminação. Depois é só colocar, literalmente, a mão na massa, começando pelos lábios e gengiva. O que é importante reparar neste momento é na cor e textura da parede gengival. Se ela estiver opaca e com o tecido bem flácido, significa que está com inflamação.

Observe sua escovação

Heloísa ressalta que é importante se atentar a limpeza da gengiva durante a escovação. "As cerdas da escova devem 'varrer' levemente a gengiva para remover a placa, que pode se alojar nessa região". Lembre-se que o uso do fio dental corretamente é imprescindível e que este momento também pode identificar uma gengivite. "É importante observar, principalmente, a existência de sangramento ao escovar e passar o fio dental".

O que fazer quando descobrir o problema?

Se você identificar uma inflamação na gengiva, precisa tomar uma atitude. "Melhor higienizar imediatamente na área inflamada e procurar um especialista para avaliar a sua saúde periodontal". A terapia consiste em um profilaxia com raspagem radicular. "Tratamentos com laser também estão conseguindo ótimos resultados", conclui.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149