Colocar um aparelho fixo muda bastante o sorriso de uma pessoa. O tempo do tratamento não é definido, e o ideal é que ele ocorra de forma contínua, com começo, meio e fim definidos, sem pausas. Mas justamente no meio do tratamento acontece uma data importante, que não pode ser adiada, como formatura ou até mesmo casamento, e você não quer sair com aquele sorriso metálico nas fotos. Será que é possível fazer uma pausa? O especialista Caio Botta Martins explica como não prejudicar os resultados nesses casos.

A duração do tratamento ortodôntico pode variar

Segundo o dentista Caio Botta Martins, um tratamento ortodôntico fixo costuma demorar em média 2 anos e meio ou 3 anos. “Hoje, tanto as empresas quanto os ortodontistas buscam novas tecnologias para reduzirem ainda mais esse tempo médio”, afirma. No entanto, cada caso tem suas particularidades, e por isso a duração pode variar. A quantidade de movimentos dentários que serão executados, a complexidade da mordida, a resposta biológica e adaptação e colaboração do paciente são alguns fatores que podem influenciar nessa duração.

É possível fazer pausas no tratamento?

“Não é interessante paralisar um tratamento durante o período de movimentações dentárias”, diz ele. No entanto, é sim possível realizar essa pausa, porém o paciente corre o risco de perder controle dos movimentos já atingidos. Além disso, o aparelho é colado aos dentes, e quando é removido, perde seu potencial de adesão. Portanto, os ortodontistas não podem reaproveitar aparelhos que já foram descolados, e quando o paciente retomar o tratamento ele terá que arcar com novos custos de instalação. Fora esse gasto adicional, o profissional pode ter dificuldade de colar todos as peças do aparelho na mesma posição inicial. “Isso também dificulta o tratamento e tende a atrasar o mesmo”, explica.

O tempo de pausa é um fator importante

Mesmo com todos esses aspectos negativos, uma pausa pode atrapalhar ou atrasar o tratamento ortodôntico, mas não necessariamente prejudica o resultado final. “O tempo que o paciente fica sem o aparelho ortodôntico fixo também é importante neste aspecto”, esclarece. Se o paciente ficar 1 ou 2 semanas sem aparelho, provavelmente não irão ocorrer muitas movimentações desfavoráveis, e quando voltar ao tratamento vai retomar praticamente do estágio anterior. Por outro lado, caso o paciente fique muito tempo sem aparelho, as chances de perder os resultados já atingidos são bem maiores.

Existem formas de diminuir os prejuízos

Nos casos em que a pausa for realmente necessária, uma contenção ortodôntica é uma ótima opção para evitar maiores complicações durante o período de espera. O paciente poderá utilizar um aparelho de contenção móvel, uma placa de acetato ou uma contenção fixa. “As três opções devem ser estudadas e definidas pelo ortodontista”, diz ele. O profissional vai avaliar caso a caso o que será feito e poderá decidir uma estratégia para o controle da movimentação dos dentes.

Não deixe de conversar com seu dentista!

“Quando o paciente paralisa um tratamento com a concessão do ortodontista tudo fica mais organizado e planejado. Nunca, de forma alguma abandone um tratamento”, alerta ele. O abandono acontece quando o paciente decide parar por conta própria e deixa de ir ao dentista, e as consequências para o sorriso podem ser graves.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Caio Botta Martins - Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP: 88536