Uma das piores sensações que existe é sentir dor. Ninguém gosta de sofrer com algum incômodo, principalmente quando se trata de dente. Mas ainda bem que há 200 anos atrás alguns dentistas americanos mudaram essa história e criaram a anestesia. E hoje o Sorrisologia junto com o Dr. Max Ferreira vão contar tudo o que você precisa saber sobre esse procedimento.

Nem tudo precisa de anestesia

Apesar de muita gente ter medo de dentista e implorar anestesia em quase todos os procedimentos, Max explica que apenas aqueles tratamentos com expectativa de dor precisam da aplicação. "Todos os procedimentos cirúrgicos necessitam de anestesia, mas o que vai ditar a necessidade ou não em relação aos demais procedimentos é o grau de resistência do paciente a essa sensação".

Existem 3 tipos de anestesia na odontologia

O profissional conta que as opções de anestesia são a infiltração local, o bloqueio de campo e o bloqueio de nervo. Todas são escolhidas dependendo da extensão da área que se deseja anestesiar. "Na infiltração são anestesiadas apenas pequenas terminações nervosas, no bloqueio de campo, os ramos nervosos terminais maiores e, no bloqueio de nervo, os grandes troncos nervosos".

A anestesia pode gerar complicações

Os efeitos da anestesia podem gerar complicações locais e gerais para algumas pessoas, como os hematomas. "Eles são causados quando vasos sanguíneos são acidentalmente lesados durante a introdução da agulha e acontece extravasamento de sangue aos tecidos". Quanto ao fator geral, os problemas são bem mais graves. "A anafilaxia é um exemplo disso e acontece quando o paciente apresenta alergia a alguma substância do anestésico local"..

Todo paciente precisa ser avaliado individualmente

Para isso não acontecer, o dentista precisa realizar uma anamnese minuciosa com detalhes sobre o estado de saúde atual do paciente assim como o seu histórico familiar. "É preciso ter informações sobre alergias, doenças crônicas, experiência em tratamentos odontológicos anteriores". Dependendo de toda a apuração, o uso de anestésicos locais pode ser anulado, assim como o próprio tratamento odontológico, até encontrar uma segunda opção.

Não dá pra fugir da dorzinha da agulha

"Sempre há expectativa de dor, pois uma agulha é introduzida nos tecidos e, dependendo da área que se deseja anestesiar, a profundidade dessa introdução também vai variar". Apesar disso, o incômodo da aplicação não chega nem perto da dor que haveria se o procedimento fosse realizado sem anestesia. Profissionais experientes podem minimizar essa sensação com diferentes técnicas de aplicação. Existem também os anestésicos tópicos, aqueles em forma de pastinhas, que causam uma anestesia transitória sobre a área em que a agulha será introduzida. Tomando os cuidados necessários você passará por procedimentos sem sentir dor e terá muito mais motivos para sorrir.