Além da cárie e da periodontite, doenças bucais muito comuns, o abscesso dentário é outro dos problemas que podem acometer a região com mais facilidade. Talvez você nunca tenha ouvido falar nele, ou se ouviu, pode não ter entendido exatamente do que se tratava, mas a hora de tirar todas as suas dúvidas é agora, com a ajuda do especialista em implantodontia Vinicius Marchiori.

O que é um abscesso dentário?

Entre os problemas bucais mais comuns, está o abscesso dentário. Mas afinal, do que se trata esse transtorno? O especialista explica que este é um processo inflamatório que resulta em uma coleção purulenta e pode acontecer tanto na região periapical quanto na periodontal. “Normalmente um volume aumentado é percebido no local e pode causar dor e até infecção generalizada”, conta. Isso tudo acontece devido às bactérias, células mortas e líquido inflamatório que se formam a partir de uma infecção bacteriana não tratada, crônica, segundo o profissional.

Diferença entre abscesso periodontal e abscesso periapical

Abscesso periodontal: Acontece ao redor do dente e é causado pelo acúmulo de placa bacteriana que se transformou em tártaro, desenvolvendo-se na superfície dentária e invadindo a gengiva e osso alveolar. “Outra causa comum de abscesso periodontal é fratura radicular não tratada. Com a presença crônica de bactérias sobre a raiz do dente pode ocorrer o acúmulo e observamos a formação do abscesso”, indica.
Abscesso periapical: Acontece ao redor da ponta da raiz do dente, na periferia do ápice radicular ou periápice, e é causado pela infecção dentro de um canal com polpa morta que não foi tratada. “A presença da infecção não tratada gera uma coleção purulenta que aumenta de tamanho destruindo o osso ao redor. Quando essa infecção acha um caminho no osso até à gengiva, o pus sai do osso mas não atravessa imediatamente a gengiva e se instala logo abaixo desta, criando um volume que aumenta até que um ponto na gengiva se abra para a saída do líquido.”

Além disso, Vinicius também alerta que é possível a existência de uma lesão periodontal presente em um mesmo dente com lesão periapical. Caso as duas lesões cresçam o suficiente, elas podem se unir, formando uma lesão endo-pério, que é ainda mais difícil de se tratar.

A que sintomas ficar atento?

Visitar o dentista periodicamente é primordial para que o profissional possa detectar as lesões causadoras de abscessos antes que esses se formem, de acordo com Vinicius. Afinal, é esse acompanhamento que poderá ajudar a cuidar da saúde bucal do paciente e prevenir que esse e outros problemas bucais se desenvolvam. “Caso se perceba aumento de volume em regiões próximas aos dentes ou mesmo nas bochechas/pescoço, é importante procurar ajuda profissional com urgência, pois um abscesso mal tratado pode causar infecções mais graves e levar até mesmo a morte”, alerta.

Como remover um abscesso dentário?

Segundo o implantodontista, o tratamento não é específico para o abscesso, já que ele é o resultado de uma patologia não tratada. “o que se faz é drenar o pus do abscesso e tratar a raiz com problema, seja por raspagem para remover o cálculo, tratamento de canal ou mesmo remoção do dente infeccionado. Com a eliminação da causa o abscesso desaparece”, esclarece. Além disso, medicamentos como antibióticos ou antiinflamatórios podem ser necessários, mas só devem ser utilizados a partir de uma recomendação médica, já que tomá-los sem acompanhamento profissional pode piorar a situação.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Vinicius Marchiori - Especialista em implantodontia, em biologia celular e molecular e mestre em lasers.
São Paulo - SP
CRO-SP: 55.655