Musicoterapia, já ouviu falar? Se a música tem alto impacto na sua vida, você vai gostar de entender um pouco mais sobre essa terapia. Acontece que na verdade, grande parcela das pessoas têm um certo medo ou aflição na hora de ir à uma consulta com o dentista. Seja pelo som e uso do motorzinho, ou simplesmente por permanecer de boca aberta por um longo tempo durante a consulta. No entanto, imagine se, por um momento, seus encontros com o odontologista se transformassem em um momento de maior tranquilidade? Pois bem, é exatamente para essa finalidade que a musicoterapia existe nos consultórios odontológicos. Além de, claro, trabalhar nos problemas psíquicos do paciente. Pensando nisso, nós do Sorrisologia conversamos com a especialista em odontopediatria Mirna Matoba, e ela esclareceu um pouco mais sobre a função da musicoterapia para fins odontológicos. Veja a seguir!

O que é a musicoterapia e como ela atua nos tratamentos odontológicos?

Primeiro, se faz necessário entender o que é a Musicoterapia. Segundo Mirna, é a terapia em que se utiliza técnicas baseadas em sons, ruídos, harmonias e músicas para se tratar de problemas psicossomáticos ou psíquicos. “Pode-se utilizar de instrumentos musicais ou não, canto, ou até da música propriamente dita, trazendo o benefício delas”, explica. Não é incrível?

Está técnica atua com o intuito de ajudar o paciente durante uma consulta. Ou seja, a musicoterapia faz com que o tratamento se torne possível. “Muitas pessoas têm casos de medo, pânico ou desconforto durante a consulta, por isso, a musicoterapia é uma boa solução”, relata a profissional. De acordo com Mirna, a musicoterapia poder ser utilizada em todos os tratamentos odontológicos, tornando-se uma medida eficaz e que pode ser usada com qualquer faixa etária.

Que tipo de música o profissional usa?

Se você chegou até aqui, certamente deve estar imaginando que tipo de música o odontologista te coloca para escutar. Mas não se preocupe, você não sairá de casa para uma festa, nós prometemos! Mirna esclarece que o profissional faz uma análise do perfil psicológico do paciente. “Pode ser utilizada músicas com letras, sons, ou ruídos. No entanto, é necessário um profissional musicoterapeuta para poder avaliar qual a melhor opção do som”, explica a odontologista.

Efeitos que a musicoterapia produz no paciente

Segundo Mirna, a musicoterapia traz tranquilidade e relaxamento ao paciente, podendo agir na parte psicossomática e psíquica. “Ela acaba viabilizando o tratamento, porque age profundamente na parte neural, como por exemplo, ajudando na produção de endorfinas causando uma sensação de bem-estar”, finaliza. Ficou curioso? Se você acha que essa técnica pode ser interessante para sua próxima consulta com o dentista, busque informações sobre quais clínicas atendem com esse diferencial e experimente!