Que cuidar da saúde do seu sorriso é importante, você já sabe. Mas de que forma será que ela pode estar relacionada à doenças e problemas em outras partes de nosso corpo? Não se trata apenas de cáries, periodontite ou mau hálito. Pesquisas e estudos vêm associando a (falta de) higiene bucal à disfunção erétil, e o estomatologista Daniel Cohen conversou com o Sorrisologia e tirou algumas dúvidas sobre o assunto.

A importância da saúde bucal para o organismo

Engana-se quem pensa que a saúde bucal não interfere na saúde do corpo inteiro, e é exatamente isso que o estomatologista aborda. Relembrando um estudo que correlaciona microorganismos da cavidade oral com doenças sistêmicas, o especialista indica a possibilidade desses organismos poderem causar infecções pulmonares ou até mesmo doenças cardiovasculares. No entanto, ele também fala de um outro mal muito presente na vida de parte da população: o mau hálito. “A maior parte ocorre pela falta de higiene da língua, que deve ser escovada diariamente. Uma técnica simples que pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes substancialmente”.

Existe alguma diferença entre os cuidados com a higiene bucal do homem e da mulher?

Apesar de muitos terem a percepção de que os homens não são tão cuidadosos com a higiene pessoal, isso não é verdade. Tanto é que a atenção com a limpeza bucal é a mesma para ambos os gêneros. O que pode ser considerado um fator de distinção é a questão da gravidez, que pode levar uma reação inflamatória na mulher. “As mulheres inclusive ficam mais suscetíveis à gengivite gravídica ou até mesmo o granuloma piogênico, que é uma lesão reacional nestes casos chamado de granuloma ou tumor gravídico”, explica.

Os principais riscos de deixar a higiene bucal de lado

De acordo com Daniel, as principais doenças que acometem a cavidade oral são a cárie e doença periodontal, associadas diretamente ao acúmulo de placa bacteriana causado pela má higiene bucal. Outro transtorno que o especialista aponta é a halitose (mau hálito), mas ele alerta: “Não podemos confundir com a halitose fisiológica, que é aquela que todos têm de manhã ao acordar, por ter passado tanto tempo com o fluxo salivar reduzido durante o sono”. Até mesmo porque após escovar os dentes, os sintomas melhoram.

Além disso, pacientes que passam por algum tipo de tratamento para câncer precisam ter os cuidados redobrados, já que a quimioterapia e radioterapia podem causar alterações na cavidade oral, podendo desencadear mucosite, infecções e cáries dentárias. “É muito importante o acompanhamento odontológico e estomatológico prévio (durante e após também) dos pacientes que serão submetidos ao tratamento oncológico”, finaliza.

A falta de higiene bucal pode provocar ou aumentar o risco de disfunção erétil?

Esta é questão que tem sido bastante levantada ultimamente, e apesar de ainda ser uma relação pouco estudada, o estomatologista explica que pesquisa recente revelou uma associação positiva entre periodontite crônica e disfunção erétil, embora outros fatores devam ser levados em consideração também. “Ambas doenças são multifatoriais e apresentam tabagismo, diabetes melito e doenças cardíacas como fatores de risco em comum”, conta. Além disso, outras causas que podem estar associadas à disfunção erétil são o tabagismo, a obesidade e a hipertensão.

Cuide bem do seu sorriso

O hábito de escovar os dentes diariamente após as principais refeições, acompanhados do fio dental (ao menos antes de dormir) é importantíssimo para que o seu sorriso se mantenha sempre bem bonito. Mas para isso, é preciso compreender a técnica correta da escovação, que segundo o profissional, deve ser orientada pelo cirurgião-dentista. “A escovação da língua deve ser realizada diariamente com raspador lingual, à exceção dos pacientes oncológicos, que devem interromper o hábito durante o tratamento, em virtude da ânsia de vômito que o hábito causa”.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267