Uma vez você foi avisado de que cerdas desgastadas seriam um sinal de alerta para trocar sua escova de dente. Se o conselho vem sendo levado à risca desde então, saiba: ele pode estar incompleto. Já parou para pensar que talvez esse não seja o único critério a ser considerado? Descubra o que deve ser analisado na hora de substituir esse utensílio com a ajuda da dentista Heloísa Crisóstomo.

As cerdas podem te enganar

É bem verdade que elas também devem ser analisadas, mas a especialista esclarece que ter o estado das cerdas como único indicativo para troca não é suficiente. Heloísa dá um exemplo: se você usa uma escova de cerdas duras e aplica força moderada na escovação, é bem provável que ela não sofra deformações por um longo tempo - o que não significa que não seja necessário substituí-la. “A importância da troca vai além dos desgastes da cerdas”, reforça.

Identificando a hora da troca

Você saberia dizer exatamente quando começou a usar sua escova de dente atual? Não se engane, essa informação também é importante. A dentista explica que a escova deve ser substituída a cada três meses ou quando as cerdas estiverem danificadas. “Sempre obedecendo o episódio que acontecer primeiro”, lembra.

Além do tempo e da aparência, outro critério também deve ser respeitado. “É igualmente importante trocar a escova após doenças virais, bacterianas e fúngicas, a fim de evitar a permanência desses indivíduos nas cerdas úmidas, ambiente propício para proliferação deles“, justifica Heloísa.

Por que trocar a escova de dente?

Não é difícil encontrar quem só aposente a escova quando ela já está praticamente irreconhecível. Esse hábito, no entanto, é um risco à saúde dos dentes. Se as cerdas estiverem desorganizadas, fica impossível fazer a remoção eficiente da placa bacteriana que causa o mau hálito e diversos outros problemas bucais.

“Também vale lembrar que o acúmulo de bactérias e fungos que se alojam e desenvolvem nas cerdas da escova corresponde a números enormes, logo, é preciso trocá-la por uma questão de saúde”, ressalta a especialista. Sendo assim, se a escova já cumpriu seu papel, dê a ela o descanso merecido. É a hora de dar lugar a um utensílio mais novo e, consequentemente, mais preparado para proteger o seu sorriso.