As cáries dentárias são um dos problemas bucais mais comuns que existem no mundo. Além de serem facilmente adquiridas, devido a má higienização e da ingestão de altas quantidades de carboidratos refinados, as cáries resultam nas cavidades causadas pelas bactérias que vivem em nossa boca. A boa notícia é que essa doença, apesar de acometer diversas pessoas, pode ser amenizada - e evitada! - com uma rotina precisa de cuidados dentais, sem precisar passar por uma restauração dolorosa. Para saber qual a melhor estratégia para eliminar as cáries de vez, o Sorrisologia conversou com o dentista Pablo Pause e ele esclareceu os estágios da cárie e a hora certa de optar por uma restauração, confira!

Os estágios da cárie:

Apesar de nossos dentes serem muito fortes e resistentes, não se pode deixar os hábitos de higiene bucal de lado. Pablo explica que: “A lesão que a cárie faz no órgão dental (a coroa e a raiz do dente) precisa ser entendida num contexto de diversos fatores, sendo eles: tempo, indivíduo ou dente suscetível, microrganismos e dieta cariogênica”, e exemplifica: “As cáries se desenvolvem da seguinte maneira: ao se instalarem no dente, os microrganismos começam a produzir ácidos na superfície do esmalte, alterando o pH da mesma, gerando uma porosidade”, explica o dentista.

Ele também comenta que após esse primeiro momento, acontece uma perda mais acentuada de elementos minerais importantes, como flúor e cálcio, formando um pequeno furo na superfície do esmalte. “Se essa lesão persistir, ela ultrapassará a camada do esmalte, chegando na dentina (uma camada do dente mais profunda), que é responsável pelas transmissões dolorosas. Caso não seja tratada neste estágio, a cárie atingirá a polpa dentária, gerando dor aguda e a necessidade de tratamento de canal”, explica Pablo.

Escovação x Restauração

Por ser pequena, a cárie muitas vezes pode ser confundida com alguma sujeirinha. Entretanto, é sempre bom ficar de olho e dar uma atenção especial à limpeza da boca: “Se realizar a higienização bucal corretamente todos os dias após as refeições, não terá tempo dos microrganismos se juntarem na superfície dental. Porém, se observamos uma pequena lesão branca e porosa, pode-se realizar um tratamento que consiste na orientação exata da higiene oral ao paciente, além do uso do gel fluoretado (com flúor) no controle da placa bacteriana”, conta o médico, ao exemplificar: “Com a cooperação correta do paciente, é possível abrir mão da restauração”. Mesmo assim, a dúvida persiste quando se trata de ir até um consultório, por isso, Pablo orienta: “Quando o dente apresenta uma cavidade, uma aglomeração de sujeiras ocorre, tornando a área da cárie ativa. Nesse momento, deve ser feita a restauração, a fim de garantir a integridade da superfície dentária”.

O melhor tratamento para cárie é a higienização: ‘melhor remédio’

Mesmo com todos os tratamentos conhecidos para essas cavidades, Pablo explica que ainda assim, a higienização é o melhor caminho: “O melhor “remédio” para o não surgimento de lesões de cárie é realizar a higienização bucal corretamente. Porém se mesmo assim elas aparecerem, existem alternativas conservadoras ou restauradoras para o tratamento”. No entanto, vale lembrar também que qualquer problema diagnosticado no seu início, é menos doloroso para ser tratado, incluindo as cáries.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Pablo Pause - Cirurgião-Dentista
Rio Grande do Sul -RS
CRO-RS: 23299