Muito vem se falando a respeito do aparelho ortodôntico autoligado: para que serve, para quem é indicado, quanto tempo dura o tratamento, quanto custa… E isso é normal, se você está buscando por algum tipo de tratamento que valorize seu sorriso. No entanto, você saberia dizer o que é mito e verdade dentro desse assunto? O Sorrisologia conversou com a ortodontista Renata Paraguassu, que esclareceu as principais dúvidas. Confira!

1. Aparelho autoligado só deve ser usado em quem tem apinhamento dental severo: mito ou verdade?

Mito. Segundo Renata, o aparelho autoligado é, basicamente, a aparatologia fixa já conhecida e composta por braquetes e tubos. No entanto, a ortodontista esclarece: “Esse aparelho, porém, não tem a necessidade de ligaduras, mais conhecidas como borrachinhas”. No aparelho autoligado, o arco ortodôntico fica preso a estas peças por meio de clipes, tampas ou portas. “Assim, acontecerá um nível de atrito menor e, consequentemente, vantagens na biomecânica do tratamento ortodôntico, visto que, dessa forma, consegue-se executar uma movimentação dentária com menor intensidade de força sobre os dentes” explica Renata, que comenta: “A indicação para esse tipo de aparelho se dá para todos os tipos de maloclusões existentes, porém, casos com muito apinhamento dental são muito beneficiados quando se escolhe este tipo de aparelho”.

2. O aparelho autoligado causa mais dor e incômodo: mito ou verdade?

Mito. Segundo a ortodontista, o fato do aparelho autoligado trabalhar com forças mais leves, leva a uma menor sensação de dor durante o tratamento ortodôntico. Além disso, Renata esclarece: “Outras vantagens deste tipo de aparatologia são quanto à velocidade na etapa de alinhamento dentário e no controle das rotações dos dentes”.

3. Os aparelhos autoligados exigem mais cuidados do que os aparelhos ortodônticos convencionais: mito ou verdade?

Mito. Os cuidados que o paciente deverá ter no uso do aparelho autoligado são os mesmos
atribuídos ao convencional. Por isso, Renata esclarece: “Atente-se com o controle rigoroso da higiene oral e tenha cuidado com a alimentação, evitando alimentos duros e/ou pegajosos”. A ortodontista ainda indicou: “Para o paciente diferenciar um aparelho do outro e conseguir identificar o autoligado, basta notar a presença ou ausência do uso das borrachinhas”.

4. Existem vários tipos de aparelhos ortodônticos autoligados: mito ou verdade?

Verdade. Esses aparelhos podem ser passivos ou ativos. “O aparelho autoligado passivo caracteriza-se pela presença de clipes ativos que diminuem a luz do espaço onde se acomoda o fio (slot) e, desta forma, o fio após o fechamento dos clipes sofrerá uma maior ativação, havendo uma resultante da direção da movimentação maior no sentido ântero-posterior”, explica Renata, que conclui: “O aparelho autoligado ativo, por sua vez, tem a luz do slot maior e com isso consegue-se maior resultado nos movimentos transversais, de expansão das arcadas”.

Quer saber como funciona o tratamento ortodôntico? Confira no vídeo do Manual do Mundo:

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Renata Paraguassu - Especialista em Ortodontia, Ortopedia Funcional dos Maxilares e Implantodontia
Niterói - RJ
CRO-RJ: 24711