Escovar dos dentes é uma tarefa que já faz parte da nossa rotina! Você certamente deve saber que a maior aliada para garantir uma boa higiene bucal é a escova de dentes. Ainda assim, ela também pode ser atingida por bactérias e vírus, que se não forem devidamente controlados, podem trazer prejuízos para a sua saúde. Para entender um pouco mais sobre isso, o Sorrisologia conversou com o dentista Leonardo Costa que destacou cinco atitudes erradas que podem prejudicar a qualidade da sua escova de dentes. Dê só uma olhada!

#1 - Emprestar a escova de dentes para outra pessoa

Você costuma pegar a escova de dentes do namorado emprestada vez em quando? Se sim, esse hábito precisa parar agora! Compartilhar a ferramenta você pode colocar a sua saúde e da outra pessoa em risco. “A escova faz a higiene da boca, removendo o biofilme dental bacteriano, também conhecido como placa dental, que contém microrganismos e restos de alimentos que mesmo após o enxágue podem permanecer nas cerdas da escova”. A partir daí, começa uma festa de bactérias: “Ao emprestar sua escova para outra pessoa, acontecerá a infecção cruzada, ou seja, você estará passando suas bactérias adiante e recebendo outras de volta”. A recomendação é clara: use seu próprio utensílio e evite esses problemas.

#2 -Não trocar a escova de dentes com frequência

Assim como qualquer outro item de higiene, a escova de dentes também indica o momento em que precisa ser trocada. Segundo Leonardo, com o passar do tempo as cerdas da ferramenta perdem a formada e, consequentemente, a sua eficiência de escovação. Por isso, a regra é clara: a escova dental deve ser trocada a cada três meses. Caso contrário, ela pode deixar de prevenir o seu sorriso do acúmulo de placa bacteriana que pode causar tártaro, cárie e doenças na gengiva.

#3 - Esquecer de limpar a escova de dentes após usá-la

Pode até parecer estranho limpar algo que tem a função de higienizar. Mas, de acordo com o dentista, é exatamente isso que você deve fazer com a sua escova de dentes depois de usá-la. “Após a higiene oral, é importante lavá-la em água corrente e bater levemente o cabo da escova contra a pia para remover o excesso de água. Nesse caso, é importante não secar a escova com toalha ou papel”. Além disso, o especialista revelou que existem outras maneiras de evitar a proliferação de germes e bactérias na escova de dentes. “Analise sempre se há restos de alimentos na escova e, caso exista, remova-os. Colocar a escova imersa em solução de digluconato de clorexidina 0,12% por alguns minutos diariamente também pode ajudar”, contou.

#4 - Deixar a escova de dentes exposta no banheiro

Quando se trata de guardar a escova de dentes, é comum que a maioria das pessoas recorra a pia do banheiro ou boxe do banheiro. Acontece que, esses lugares são úmidos podem contribuir para o acúmulo de uma quantidade considerável de bactérias, vírus e microrganismos nocivos na sua escova. Sendo assim, o profissional alerta: o ideal é manter a escova em posição vertical e sem contato com outras escovas. Nesse caso, a ferramenta deve ser guardada em dentro de um armário arejado e nunca exposta ao ambiente de banheiro, como sobre a pia. Capinhas protetoras e estojos também devem ser evitados.