Respirar pela boca não deve se tornar um hábito frequente, pois essa simples atitude pode desencadear diversas consequências para a saúde geral e bucal do paciente. “Por ressecar as mucosas, o respirador bucal tende a ter mais problemas dento-gengivais, porém a atresia do palato é uma das piores consequências”, explica Robson Caumo, ortodontista e especialista em DTM. Fique de olho em alguns dos problemas mais comuns causados pela respiração bucal a seguir!

1. Apinhamentos dentários

Segundo o especialista, os apinhamentos são muito comuns devido à atresia palatal causada por esse hábito parafuncional. Além disso, a mordida cruzada, geralmente nos dentes posteriores, também pode favorecer o acúmulo de placa na superfície dentária, tendo como resultado as cáries e problemas gengivais, como a gengivite ou a periodontite. Todo o processo acaba se tornando basicamente uma ação em cadeia, onde por causa de apenas um hábito (que aparentemente não é nada demais), vários outros problemas podem começar a aparecer e ainda provocar outros.

2. Ronco e apneia

Respirar pela boca durante o dia já é algo que foge do natural e é importante ficar atento, mas se isso passa a acontecer também a noite durante o sono, a atenção deve ser redobrada. O ronco é uma das consequências desse problema e que pode incomodar bastante quem estiver por perto, além de indicar que tem algo de errado. Já a apneia é ainda mais preocupante, já que o paciente simplesmente pára ou diminui a sua respiração enquanto dorme, e se não for tratada corretamente pode ser fatal.

3. Mau hálito

Devido ao ressecamento das mucosas, a respiração bucal facilita a proliferação de bactérias em nossa boca e contribui para a formação da saburra lingual, uma camada esbranquiçada composta de células descamadas e restos de alimentos que se depositam sobre a língua. Essa é a principal causa do mau hálito, e se o paciente não buscar o tratamento adequado para solucionar o problema, pode ser que a halitose se torne crônica.

Dentista pode ajudar a combater esses problemas

Se você percebeu que está se acostumando a respirar mais pela boca do que pelo nariz, está na hora de entender por que isso está acontecendo com a ajuda de um especialista. Existem dentistas qualificados para isso, e de acordo com o Robson, a intervenção precoce melhora muito o prognóstico. “Isso ajuda a evitar deformidades no palato, atraso no desenvolvimento mandibular, deglutição e fonação atípica, que, por sua vez, desencadeiam uma cascata de outros problemas nos sistemas, como problemas gástricos”, explica.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Robson Caumo - Ortodontista e Especialista em DTM
Niterói - RJ
CRO-RJ: 30043