Na ortodontia existem diversos tipos de aparelhos. Cada um com uma função particular que vai desde o alinhamento dos dentes ao tratamento de disfunção temporomandibular (DTM). O especialista no assunto, Sérgio Casarim conta que existem muitas controvérsias quanto às causas deste problema nas articulações da mandíbula. A má oclusão pode ser uma delas. "O tratamento ortodôntico pode auxiliar na correção da má oclusão, mas não necessariamente na resolução das DTMs". Entenda mais sobre o assunto com o Sorrisologia.

Como funciona?

O tratamento ortodôntico pode melhorar a oclusão proporcionando uma mastigação mais eficiente e com menor esforço muscular. Uma grande ajuda para quem tem incômodos no maxilar, um dos sintomas da DTM. "Como um dos objetivos do tratamento ortodôntico é um melhor encaixe dos dentes, a força da mastigação é melhor distribuída, eliminando a pressão da arcada dentária", conta Sérgio. Essa ligação entre os dentes pode causar dores e até doenças periodontais nos pacientes.

Qual aparelho ortodôntico é o mais recomendado?

O tipo de aparelho ortodôntico ideal para este caso vai depender de uma série de fatores que devem ser avaliados. "Podem ir desde o tipo de má oclusão, idade do paciente, até mesmo o desejo do paciente de usar um aparelho mais ou menos estético", afirma o profissional. Portanto, a escolha do acessório mais adequado necessita de uma consulta como um especialista no assunto: o ortodontista. Já o tempo de tratamento pode durar, em média, de 18 a 36 meses.

A importância do tratamento multidisciplinar

Sérgio conta que, cada vez mais, os profissionais de ortodontia estão atendendo pacientes já adultos. A maioria necessita de outras especialidades odontológicas como periodontia, implantodontia, dentística e endodontia. "Atualmente a interdisciplinaridade dos tratamentos odontológicos é uma realidade. Uma equipe bem coesa pode, sem dúvidas, prover uma atendimento mais humanizado e de melhor qualidade aos seus pacientes", conclui.