Você já ouviu falar em enxerto ósseo? É um procedimento em que o tecido ósseo é retirado de uma região do corpo e colocado em outra para restaurar algum dano. Esse fragmento pode ser extraído em forma de pó ou em um bloco inteiro, dependendo do problema. A técnica ficou muito conhecida no ramo odontológico ultimamente. Mas em quais situações ela é necessária? Para esclarecer, o Sorrisologia convidou o periodontista Sérgio Siqueira que citou os principais cenários em que a prática costuma ser aderida.

Quando é necessário colocar enxerto ósseo?

Na odontologia, o enxerto ósseo pode ser utilizado em várias ocasiões. A utilização mais comum é em áreas candidatas ao implante dentário onde o osso, por alguma razão, ficou deficiente. Entretanto, Sérgio diz que ele pode ser indicado em uma cirurgia bucomaxilar facial, por exemplo. “Ele é capaz de repor um osso, ou parte dele, direcionar ou acelerar a cicatrização óssea”, assegura.

O procedimento também é importante no tratamento da periodontite, que é a perda do osso ao redor dos dentes. “Algumas vezes o enxerto ósseo é utilizado como complemento ao uso de barreiras biológicas para favorecer a formação de novo tecido de sustentação do dente”, comenta. Recentemente, os enxertos têm sido utilizados nos alvéolos dos dentes recém-extraídos para prevenir a reabsorção óssea, que vem seguida da perda dental. Esse cenário acaba evitando a necessidade de implante dental no futuro, o que é uma grande evolução para o ramo!

O que esperar do procedimento?

É uma técnica tranquila de ser feita, mas para ter um resultado positivo é importante realizá-la com um profissional especialista no assunto. A cirurgia pode ocorrer no consultório dentário ou em um ambiente hospitalar, dependendo do caso de cada paciente. Todas envolvem anestesia geral ou local. Isso significa que o paciente não sente nenhuma dor ao longo da operação. O único momento em que o paciente acaba sentindo alguns incômodos é após a cirurgia, quando acaba o efeito da medicação. “O pós-operatório é um pouco dolorido, mas pode ser contornado com uso de remédios analgésicos”, garante o dentista.

Como saber se preciso de enxerto?

Na verdade, só um dentista pode identificar essa necessidade. Mas se você perdeu um dente, recentemente, ou está com gengivite há muito tempo, precisa consultar um profissional para descobrir o melhor tratamento. É importante manter essas visitas periódicas a cada seis meses ou um ano, dependendo da sua necessidade bucal. Não deixe para ir ao dentista apenas quando o problema se agravar. Coloque seu sorriso sempre em primeiro plano.