Coceira, ardência ou dor local. Quem já teve herpes labial logo identifica esses sintomas e sabe que, a qualquer momento, as bolhas vão surgir. Essa doença atinge grande parte da população, contudo, nem todos manifestam seu quadro. O contágio do vírus acontece através do contato direto, o que contribui para o número de pacientes. No entanto, ao notar esses sintomas surgindo, será que é possível impedir que as bolhas surjam? A dermatologista Dra. Paula Periquito trouxe recomendações para fazer assim que você notar o vírus se manifestando.

Saiba o que pode influenciar o aparecimento do herpes labial

O herpes labial é um vírus que mesmo já tendo se instalado no organismo do paciente, pode ou não se manifestar. Existem diversos fatores que influenciam para o seu aparecimento. “Nisso podemos incluir qualquer fator que cause lesão local em uma pessoa previamente contaminada pelo vírus”, explica a médica. Pode-se ressaltar, como exemplos, o calor ou frio excessivo, queimaduras e fatores químicos.

Além disso, o sistema imunológico também é determinante nessa lista, já que quando está enfraquecido também contribui na manifestação do herpes labial. “É importante ressaltar que na idade adulta, em torno de 90% da população já entrou em contato com o vírus, que vai ficar latente no organismo, aguardando uma fator predisponente para causar a doença”, destaca a doutora.

É possível controlar o herpes labial ao sentir os sintomas?

Assim como afirma a dermatologista, infelizmente não há maneiras de contornar o aparecimento do herpes labial nessa fase. “Aos primeiros sintomas é possível iniciar o tratamento correto para que o episódio tenha uma duração mais curta e para que os sintomas sejam menos exuberantes”, orienta ela. Dessa maneira, fique atento aos indícios da manifestação da doença. Entres estes, vale destacar a sensação de dormência, coceira, vermelhidão e ardência na região. “Estes sintomas podem indicar que o vírus está prestes a causar a doença local”, comenta Dra. Paula.

Conheça os tratamentos para o herpes labial

Principalmente por não ter cura, o herpes labial é controlado durante suas manifestações com algumas opções de medicamentos para o tratamento, como o Aciclovir. “Eles atuam no processo de replicação viral, porém não tem o poder de eliminar o vírus do organismo, apenas fazem com que entrem em fase de ‘adormecimento”, explica a doutora. Já a substância L-lisina, por exemplo, tem como objetivo inibir a replicação do vírus, de maneira preventiva. Com essa ajuda, os pacientes que possuem herpes labial recorrentemente conseguem fazer com que as crises aconteçam em tempos mais espaçados.