Quando os últimos molares começam a nascer, é normal que uma sensação incômoda venha no pacote. A dor é tão desagradável que, às vezes, a vontade é de se livrar de todos os sisos de uma vez, não é? Se a opção parece tentadora, saiba que nem sempre essa é a melhor saída para o problema. De acordo com o dentista Max Ferreira, alguns critérios precisam ser levados em consideração antes de se expor a uma cirurgia mais delicada. Entenda os riscos e vantagens do procedimento.

Só o dentista pode determinar a melhor opção

Apesar de ser não existir uma quantidade máxima ou mínima de dentes a serem extraídos na mesma cirurgia, o especialista ressalta que é preciso avaliar cuidadosamente o estado físico e mental de cada um. Isso porque, mesmo sendo um procedimento bucal, é necessário examinar as particularidades de cada caso e, assim, prevenir os riscos à saúde geral do paciente.

Max esclarece que tanto um diagnóstico de hipertensão arterial quanto um quadro de depressão podem, por exemplo, significar contraindicações. “Doenças crônicas oferecem riscos pois hemorragias e infecções secundárias podem acontecer durante a cirurgia. Já o lado psicológico é importante pois trata-se de uma cirurgia mais demorada e que exigirá cuidados pós-operatórios por um período mais prolongado”, explica.

Nem sempre todos os sisos precisarão ser extraídos

É importante lembrar que, em alguns casos, não será necessário retirar os quatro “dentes do juízo”. Ainda assim, o dentista esclarece que, quando removido um siso superior, o inferior que fazia contato com ele também deverá ser extraído. “Os dentes sem antagonista sofrem o processo de extrusão, ou seja, por não ter o contato de outro dente para segurá-lo na posição, saem completamente de seu alinhamento”, justifica.

Assim, nos casos em que um dos molares fica sozinho em um lado da boca, há inclusive o risco de facilitar outros inconvenientes no futuro. Max conta que mesmo o simples movimento de abre e fecha da boca pode ser prejudicado se não for feito o tratamento adequado. Além disso, uma formação dentária desalinhada é capaz de gerar cáries e até problemas periodontais e articulares. O melhor caminho para fugir de qualquer inconveniente é procurar seu especialista e debater sobre a melhor solução para o seu problema.