Na maioria das vezes, ao pensar sobre saúde bucal, os pacientes logo relacionam aos dentes. No entanto, ela vai muito além disso. A gengiva, por exemplo, é um tecido importantíssimo. Ela resulta em um sorriso mais estético, bonito e ainda serve como proteção e sustentação para os dentes. Por isso, os cuidados com ela devem ser diários. Quando a gengiva sangra durante a higiene bucal, por exemplo, é um sinal de alerta. Será que devemos interromper a escovação? O Sorrisologia conversou com o dentista Fabrício Félix Carneiro que trouxe orientações para essa situação.

O que deve ser feito se a gengiva sangrar durante a escovação?

Primeiramente, é importante ressaltar que o sangramento da gengiva durante a escovação é um indicador de que há algum problema. Porém, ao perceber a gengiva sangrando nesse momento de higiene, o profissional recomenda não interromper a ação. “A limpeza deve ser continuada (escovação e uso do fio dental), e o mais importante é procurar o seu dentista para avaliar o motivo do sangramento”, orienta ele. Além disso, vale lembrar sobre os cuidados para ter uma gengiva saudável, como usar uma escova de dentes com cerdas macias, realizar movimentos leves durante a limpeza e não deixar o fio dental de lado nesse momento.

O sangramento na gengiva pode indicar algum problema

Diversas pessoas notam algum sangramento na gengiva durante a higiene bucal. Apesar de comum, ele não pode ser ignorado. “Sangramento gengival pode estar indicando uma doença chamada gengivite ou até mesmo uma periodontite, tanto uma quanto a outra devem ser tratadas o mais rápido possível”, alerta Fabrício. Por isso, assim que perceber o sintoma, marque uma consulta ao dentista. Isto porque, essas doenças periodontais podem causar outros desconfortos no paciente, como mau hálito, inchaço na gengiva, perda óssea e dentária. Em casos mais severos é possível acontecer até problemas sistêmicos.

Cuide-se e previna sua gengiva de doenças

Quando for percebido um sangramento na gengiva, a primeira conduta deve ser procurar um profissional. Ele irá avaliar o quadro e descobrir o que pode estar acontecendo, indicando assim a melhor maneira de cura para o diagnóstico. “Geralmente, inicia-se o tratamento com uma limpeza e orientações de higiene bucal, e dependendo do quadro, até mesmo cirurgias periodontais”, indica Fabrício. E a melhor maneira de prevenir casos como este é através da higiene bucal, por isso parar a higiene bucal não é recomendado. A escovação adequada junto com os demais cuidados de limpeza ajudam bastante. “O uso do fio dental regularmente e visitas periódicas ao dentista ajudam para uma gengiva saudável”, completa.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Fabrício Félix Carneiro - Cirurgião-Dentista e Especialista em Endodontia e Ortodontia
Ibaiti - PR
CRO-PR 15.101