Antes do nascimento do primeiro dente, a saúde bucal do bebê já deve ser acompanhada pelos pais. Em meio ao tema, os hábitos e tratamentos infantis são rodeados por diversos mitos. Assim como ressalta a dentista Sílvia Reis, “existem questões tanto de cunho estético, quanto relacionadas à saúde bucal que devem ser tratados na infância a fim de evitar maiores problemas futuros”. Pensando nisso, o Sorrisologia apresenta algumas informações importantes sobre os cuidados com a dentição durante a infância que você precisa saber.

Chupar o dedo e chupeta entorta os dentes

O costume dos pequenos em chupar o dedo ou a chupeta é conhecido como sucção não nutritiva. A dentista explica que a maioria dos bebês possuem a necessidade desse hábito e largam, normalmente, até os quatro anos. É importante que os pais estimulem a criança a interromper a mania a partir dos três anos, como uma maneira de prevenir problemas na formação dos dentes. Além disso, outras causas como genética, respiração bucal e perdas precoces de dentes podem gerar má oclusão. “Se os pais percebem a necessidade, o ideal é oferecer a chupeta ortodôntica, mais fácil de ser removida que a sucção de dedo”, indica Sílvia

Aparelho ortodôntico só pode ser usado em dentes permanentes

A colocação do aparelho ortodôntico não depende do crescimento de todos os dentes permanentes. Grande parte dos casos de más oclusões é causada por desequilíbrios no crescimento dos ossos da face, maxila e mandíbula. A atenção dos pais é de suma importância e deve-se levar o pequeno a um profissional após os cinco anos se perceberem alguma dessas desarmonias. O momento da troca dos dentes de leite pelos permanentes demanda uma análise para verificar se há espaço adequado para nascerem. “Por meio da avaliação, o profissional identifica a necessidade do uso de aparelho, além de verificar qual o modelo mais indicado, de acordo com cada caso”, explica a odontologista.

Se a criança quebrou o dente, é possível fazer um reimplante

Vale lembrar que cada tipo de trauma necessita de um tipo de tratamento. As situações em que a criança sofre com uma remoção do dente permanente, este deve ser guardado com leite ou saliva para ser levado, com urgência, ao consultório. Dessa maneira, o profissional poderá avaliar a possibilidade de reimplante. “O sucesso nos resultados desse procedimento vai depender da agilidade para realizar tudo no menor tempo possível após o acidente”, explica a dentista. Já os casos de crianças com dente de leite, deve ser encaminhado para uma emergência odontopediatra. Assim, o trauma poderá ser avaliado e indicado o melhor tratamento, dependendo de vários fatores, como a idade e o tipo de machucado.