Pode ser pela ingestão de líquidos com corantes ou por conta de problemas com higiene bucal, são muitas situações que podem contribuir para o amarelamento dos dentes e, com isso, a busca pelo clareamento dental. O principal fator que os leva a desejar fazer o procedimento é a preocupação com a estética. Quem não quer ter um sorriso bonito e impecável? Mas como todo procedimento que envolva sua saúde, ele precisa de cuidados e supervisão profissional. Para dar aquela ajuda, a dentista Kalina Diniz explicou como é possível clarear os dentes sem causar nenhum problema. Não esqueça que é importante informar-se quanto a sua saúde bucal para saber se está tudo bem. E então, ter certeza que pode recorrer ao clareamento.

É verdade que o clareamento dental pode trazer riscos à saúde bucal?

O clareamento dental é um procedimento que, se feito de forma inadequada, pode sim ocasionar algum problema para sua saúde, como por exemplos, danos às superfícies do esmalte dos dentes. Entretanto, na maioria das vezes, lesões desse tipo são mínimas e apresentam uma rápida recuperação, chamada de remineralização. “Este processo reconstitui o efeito dentário sobre os cristais de esmalte dos dentes a partir das substâncias presentes na própria saliva”, explica a profissional. O risco maior que esse acontecimento apresenta é quando ocorre uma repetição e uso exagerado dos agentes clareadores. Nos casos em que esse tipo de comportamento errado é seguido durante anos, pode resultar em danos irreversíveis ao esmalte dos dentes.

Saiba como evitar os riscos

Assim como explicado anteriormente, os riscos do tratamento de clareamento dental existem sim. No entanto, há maneiras de evitá-los, seguindo pelo caminho em que tudo dê certo. Como indica a dentista, para ter certeza de que a técnica está sendo realizada corretamente é preciso que seja feita por um profissional da área. Essa figura deve ser o dentista, quem irá avaliar o caso do paciente para o tratamento e o número correto de sessões necessárias. O profissional possui o conhecimento da concentração ideal e tempo monitorado durante a realização do clareamento. Além disso, ele fará uma prévia proteção dos tecidos moles, como as gengivas, para que não ocorram contratempos.

É importante saber quais casos não são indicados a fazer clareamento

Sim, existem casos em que o clareamento dental não está indicado. A odontologista Kalina citou exemplos, como: pessoas com hipersensibilidade nos dentes; anomalia, trincas ou fissuras no esmalte; erosão; abfração e raízes expostas. Por isso, se você deseja fazer o procedimento, é importante passar por uma avaliação prévia. O dentista irá analisar o seu caso e informar se está apto a realizar o procedimento.