Sentir dor de cabeça ou próximo ao pescoço nem sempre significa apenas uma enxaqueca ou problemas musculares. Às vezes, esses incômodos diários podem ser sinais de uma disfunção da ATM. A chamada articulação temporomandibular é responsável pela ligação entre o maxilar inferior (mandíbula) e o osso temporal do crânio, localizada bem à frente das nossas orelhas em cada lado da nossa cabeça. Venha conhecer mais sobre isso.

Onde começa o problema

Essa articulação é super flexível e faz com que possamos mastigar e morder alimentos, além de falar, cantar ou até mesmo bocejar. Os músculos desta articulação são responsáveis por controlar qualquer movimento do maxilar que fazemos, por isso, quando há disfunção da ATM, a chamada DTM, começa todo problema.

Segundo o dentista Sérgio Casarim, é uma dor que afeta o funcionamento deste grupo por inúmeros motivos. "O stress, a ansiedade, problemas de desgaste do osso, dos ligamentos que sustentam a articulação, entre outras causas". É daí que surge o temido bruxismo, aquele problema que não tem nada a ver com magia, mas é de causar espanto em qualquer um.

Fique atento aos sintomas

O dentista afirma que os sintomas da DTM também são variados. Com isso, a identificação do problema fica mais difícil por se assemelhar muito com características comuns de uma simples dor de cabeça ou início de resfriado, mas é importante ficar atento aos sinais e a frequência deles. Veja outros sintomas que podem indicar a DTM:

- Dores de cabeça, frequentemente parecidas com enxaquecas.

- Dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos.

- Uma sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca.

- Dores ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar.

- Mandíbulas que "ficam presas", travam ou saem do lugar.

- Flacidez dos músculos da mandíbula.

- Uma mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.

"Os sintomas também incluem dor de dente, tontura, problemas de audição, dor no ombro superior e até zumbido nos ouvidos", completa Sérgio.

Seu dentista é o melhor ouvinte

"O dentista especialista nesta área (DTM e Dor Orofacial) irá fazer uma completa avaliação do paciente, começando por uma análise com vários tipos de perguntas. Depois um exame físico com observação, palpação e, caso necessário, a solicitação de exames complementares", orienta o dentista.

Porém, não procure o profissional somente quando os sinais piorarem. Buscar ajuda com um especialista o quanto antes é muito importante. Existem também alguns exercícios que aliviam os incômodos e jamais deixe a escovação e os demais hábitos de higiene bucal de lado, mesmo que você tenha alguma dificuldade para realizá-los, é preciso manter sua boca bem cuidada para evitar complicações futuras.