Produto Relacionado:
Escova Dental Oral-B Pro-Saúde Ultrafino
Escova Dental Oral-B Pro-Saúde Ultrafino
Compre aqui

Na hora de sorrir, um incômodo. Na hora das refeições, mais desconforto. Não há como negar: basta conviver com a retração gengival para entender que esse problema bucal é mesmo um assunto sério. A boa notícia, no entanto, é que você não precisa conviver com a sensibilidade ou a vergonha de mostrar seu sorriso. Para saber como se prevenir dessa condição, o dentista Leonardo Costa explica o que é a retração e como é possível proteger-se desse inconveniente.

O que é a retração gengival?

Apesar de ser conhecida por dois nomes diferentes, retração ou recessão gengival representam a mesma situação. “Na prática, as duas significam dizer que houve uma mudança de posição da gengiva e, consequentemente, maior exposição da superfície radicular - ou seja, a parte próxima à raiz”, explica o especialista. Segundo Leonardo, isso acontece principalmente por dois motivos e, nesses casos, é possível que o paciente tenha sua parcela de culpa.

Você pode estar provocando esse problema

O dentista conta que a principal causa desse problema é uma higiene mal feita. Por incrível que pareça, isso diz respeito tanto à falta da escovação quanto a sua realização incorreta. Para a retração, escovar os dentes usando movimentos bruscos e aplicando força na gengiva é tão prejudicial quanto ignorar os bons hábitos e não controlar a placa bacteriana da região bucal, causando assim as inflamações gengivais. Nos dois cenários, o perigo é real.

Entenda quais são as consequências

Na hora de falar sobre os riscos da retração, Leonardo esclarece que eles vão além da estética. “A recessão gengival pode causar sensibilidade e cárie radicular e, caso não seja tratado, o problema pode evoluir e levar até mesmo a perda do dente”, alerta. Por isso, fique sempre atento aos detalhes. Reveja seus hábitos e, se preciso for, reaprenda a cuidar da sua saúde bucal. Nessa tarefa, uma conversa com o seu dentista pode ajudar.

Prevenção e tratamento

Se a mudança de hábitos é uma das condições para se proteger do problema, um profissional capacitado sempre terá as melhores dicas. “Só o dentista pode orientar sobre a forma correta de escovação e tipo de escova ideal. Além disso, caso necessário, ele realizará os procedimentos para eliminação de fatores retentivos do biofilme (placa), evitando que o paciente tenha inflamação gengival”, explica Leonardo.

Agora, se a retração já foi diagnosticada, a estratégia deve ser outra. De acordo com o especialista, a principal forma de tratar a situação é a cirurgia de recobrimento radicular. “Para melhores resultados, o ideal é que ela seja realizada ainda no estágio inicial do problema”. Portanto, nada de adiar a visita ao dentista. Se você notou algo diferente no sorriso ou algum dos principais sintomas começaram a fazer parte do dia a dia, procure o tratamento o mais rápido possível.