Não precisa estar um dia frio para bater a vontade de beber um café bem quente. Ou também, qualquer outro líquido, como o chimarrão, que faz parte da rotina gaúcha. Ocorre então a sensação prazerosa da bebida descendo e surtindo efeito em diversas partes do corpo. No entanto, às vezes, a temperatura pode ter passado um pouco do ponto e você ganha uma queimadura no céu de boca. Pensando nisso, o Sorrisologia convidou o dentista Daniel Cohen para explicar o que fazer nesses casos.

Os componentes e a função do céu da boca

Assim como a pele é revestida pela camada de epiderme, a boca humana é coberta pelo epitélio. Geralmente, esse revestimento é caracterizado por ser não queratinizado. Ou seja, ele geralmente não apresenta a camada de proteínas que impermeabilizam a pele (queratina), como uma barreira de proteção contra machucados e compostos nocivos à saúde. O dentista explica que, durante o desenvolvimento do bebê, a partir dos três meses, mesmo antes dos primeiros dentes de leite, começa a surgir a mucosa mastigatória na boca. Estas são áreas da região bucal que sofrem mais constantemente os traumas, por isso passam a formar essa camada de queratina, como é o caso do céu da boca e gengiva.

O palato (céu da boca) é separado em duas partes: uma mais posterior, que está menos submetida a traumas (palato mole), e a mais anterior, denominada palato duro. “Portanto, o céu da boca anterior está naturalmente submetido a constantes traumas que são capaz de mudar o tipo histológico do epitélio local com poucos meses de vida (mucosa mastigatória)”, explica o profissional. O céu da boca possui como principal função a de proteção. Além disso, é essencial no momento de engolir os alimentos e ao falar.

O que fazer com uma queimadura no céu da boca?

No caso dos pacientes com queimaduras térmicas de palato, durante o período considerado agudo, eles devem evitar o consumo de alimentos condimentados ou que, possivelmente, podem machucar ainda mais o local sensível. Alguns exemplos são pães de casca dura e biscoitos. "As queimaduras térmicas de palato devem ser tratadas por um estomatologista ou dermatologista", ressalta o dentista. O tratamento é feito de acordo com o grau da queimadura. Normalmente, é indicado a aplicação de corticoides ou anestésicos tópicos, de acordo com a prescrição médica. Além disso, há também a opção de auxílio terapêutico através da laserterapia infravermelha de baixa potência. Seguindo as recomendações de maneira correta, a recuperação das queimaduras costuma apresentar resultados gratificantes, não deixando incômodos possíveis no local.

Como os alimentos muito quentes podem prejudicar a saúde bucal?

É importante ressaltar que a temperatura excessiva compromete mais a região do esôfago, e não a cavidade bucal, como é imaginado. “O problema maior não é ingerir a bebida quente em si, mas o quanto a pessoa se expõe ao volume e à temperatura elevada da água e a periodicidade com que isso acontece”, explica Daniel. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), bebidas acima de 65°C são um problema. A dica é, antes de beber, coloque o dedo no líquido aquecido e tente mantê-lo por 30 segundos. Se você não aguentar significa que a bebida não está na temperatura adequada para ser consumida. Para quem possui o costume de beber líquidos quentes é indicado ter um acompanhamento de um gastroenterologista.

Confira o passo a passo para os casos de queimaduras no céu da boca

1- Como o céu da boca fica sensível devido à queimadura, evite alimentos condimentados, que poderão ferir mais ou até gerar outro machucado na área;

2- Procure um especialista, estomatologista ou dermatologista, para fazer o tratamento;

3- No consultório, o profissional fará uma avaliação do grau da queimadura;

4- O tratamento pode ser feito por laserterapia infravermelha de baixa potência, corticoides ou anestésicos tópicos, dependendo do caso de cada paciente;

5- Siga as indicações e tudo correrá bem. Logo, os resultados serão percebidos.