Com a correria da rotina ou aquela preguiça, muitas vezes a higiene bucal acaba ficando em segundo plano. No entanto, o que parece um simples descuido pode trazer consequências graves, como a formação de tártaro. Para quem não sabe, ele é a placa bacteriana que não foi devidamente removida, resultado da falta de limpeza bucal deixando um aspecto áspero e amarelado no seu sorriso. Para completar, a remoção só pode ser feita no consultório. Mas, quanto tempo leva esse procedimento? Veja as explicações do odontólogo Vinícius Barçal sobre o assunto.

Entenda como acontece a formação do tártaro

O tártaro dental é um problema bucal muito comum entre os pacientes. “É formado através da calcificação da placa bacteriana que se deposita sobre os dentes e não é completamente removida através da higiene bucal do paciente (escovação e uso de fio)”, esclarece o profissional. Segundo Vinícius, o processo de calcificação é resultado da ação de sais minerais presentes na saliva. Por esse motivo, a presença em maior quantidade do tártaro próximo à saída dos ductos salivares, como a parte de trás dos dentes incisivos inferiores, pois estão perto a glândula salivar sublingual.

Quanto tempo leva para fazer a remoção do tártaro?

Por ser um problema bucal que só pode ser resolvido no consultório, é importante entender como é solucionado. “O tempo para a remoção do tártaro e a quantidade de sessões necessárias para completa remoção depende da quantidade formada em cada paciente”, explica o dentista. O tártaro supragengival por exemplo, que fica depositado acima da borda da gengiva, pode ser removida em apenas uma sessão, com uso de ultrassom odontológico ou extratores de tártaro manuais. Por outro lado, quando o caso é subgengival, o cuidado é outro. “É necessário mais de uma sessão para a remoção adequada com curetas sem lesar a gengiva”, destaca ele.

O tártaro só pode ser removido no consultório

Assim como explicado acima, o tártaro é a placa bacteriana calcificada. Com a ajuda do uso do fio dental, escova ideal e o creme dental, o paciente que segue as etapas da limpeza bucal consegue ficar livre desse acúmulo. Enquanto a placa bacteriana pode ser eliminada com esses cuidados, o mesmo não acontece com o tártaro já formado. De acordo com o odontologista, ele é intimamente ligado à superfície do dente e mantém contato direto com a gengiva. “Por isso, devem ser removidos por um dentista no consultório para que possa ser feita sua remoção por completo sem danificar o esmalte dental, a dentina das raízes e machucar a gengiva”, orienta ele.

Fique de olho nos cuidados após a limpeza do tártaro

As visitas regulares ao dentista são essenciais para ter a saúde bucal em dia. O indicado, para maioria dos casos, é que o paciente vá a cada seis meses. Isto porque esse cuidado previne problemas maiores na sua cavidade bucal. “Se não tratado, o tártaro causa manchas na superfície dental, gengivite e periodontite (doença que acarreta a perda óssea)”, exemplifica Vinícius. Por isso, para quem realizou a limpeza profissional para remover o tártaro, também conhecida como terapia periodontal básica, é preciso continuar se cuidando. Quando abordada sobre prevenção, o odontologista recomendou ter uma higiene bucal adequada, contando com a escovação e fio dental após as refeições, pelo menos três vezes ao dia.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Vinícius Barçal - Odontólogo e Especialista em Estética
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 3979-7