Falta de espaço, dentes tortos, mordida cruzada... o aparelho ortodôntico é a solução para os mais diversos casos odontológicos. Entretanto, existem várias possibilidade de modelos de aparelhos. A indicação apenas irá depender do que precisa ser ajustado e corrigido na saúde bucal do paciente. O dentista Marcos de Borba veio apresentar os diversos aparelhos ortodônticos e explicar essa dúvida.

Conheça os tipos de aparelho ortodôntico

A ortodontia é responsável por corrigir a posição dos dentes e também os ossos maxilares. Para isso, ela conta com diversas técnicas, como o tratamento ortodôntico, conhecido comumente pelo uso do aparelho. No entanto, existem quatro tipos diferentes. O profissional destacou e definiu eles:

- Aparelho fixo: ele é fixado nos dentes, sendo constituído por bandas, bráquetes e arco ortodôntico. “Geralmente ele é usado em casos na dentição permanente de adolescentes e adultos”, comenta ele. O aparelho fixo realiza movimentos mais precisos e pode ser escolhido entre os modelos metálico ou estético;

- Aparelho móvel: é mais utilizado em pacientes crianças ou durante a troca para os dentes permanentes. Além disso, é indicado após o uso de aparelho fixo, como contenção. “Tem a função de manter espaços ou recuperar espaço para a futura dentição permanente”, destaca Marcos;

- Alinhadores: são usados em tratamentos estéticos, como uma alternativa para o fixo em casos não muito complexos. A vantagem é que ele é móvel, podendo ser retirado na hora de comer e higienizar. “É realizado um conjunto sequencial de moldeiras termoplásticas que levam os dentes gradativamente a posição ideal”, diz ele;

- Lingual: indicado para casos mais simples e de curto tempo, com a mesma função do fixo. “Os acessórios são colados por trás dos dentes, também chamado de ortodontia invisível”, completa.

Qual é o melhor tipo de aparelho ortodôntico?

Assim como afirma o ortodontista, o melhor tipo de aparelho é aquele que se adequa às necessidade do tratamento de cada um para alcançar o melhor resultado. A escolha é influenciada pelo tipo de oclusão, idade e expectativa do paciente. “Para cada problema haverá um aparelho ideal e, muitas vezes, são necessários mais de um tipo de aparelho para alcançar os objetivos”, explica Marcos. Um exemplo é começar o tratamento pelo aparelho expansor ou móvel, usar depois o fixo para corrigir as posições dos dentes e finalizar com a contenção para manter o resultado.

Não deixe de seguir os cuidados durante o tratamento ortodôntico

O dentista destaca que o uso de aparelho demanda alguns cuidados. É importante evitar comer alimentos mais duros, crocantes ou grudentos, pois podem danificar o dispositivo. Além disso, ficar atento no momento de higiene bucal. “Usar escova ortodôntica no sentido de vai e vem; passar escova interdental abaixo do arco ortodôntico, em volta dos bráquetes; utilizar Superfloos, que facilitam a manipulação entre os dentes; e colutórios com flúor é indispensável para prevenir a cárie”, cita ele. No caso de aparelho móvel, não deixe-o fora do estojo e escove ele duas vezes por dia. Para completar, as consultas regulares ao consultório são essenciais para uma boa manutenção e sucesso do tratamento.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Marcos de Borba - Ortodontista
Porto Alegre - RS
CRO-RS: 12129