O tratamento ortodôntico é um processo que envolve etapas. Antes do profissional instalar, todas as estrutura, bráquetes e fios, é importante descobrir se o paciente possui algum problema bucal. De acordo com muitos dentistas, doenças que afetam os dentes, gengivas e ossos devem ser tratadas primeiro para não pôr em risco todo o ciclo. O especialista Robson Caumo explica a importância desse cuidado prévio para garantir um resultado de sucesso.

Doenças que precisam de atenção

Em qualquer situação odontológica, toda doença bucal deve ser tratada o mais breve possível. Quando esse cenário envolve a ortodontia, os profissionais costumam dizer que o tratamento ortodôntico é a última coisa que precisa ser feita, dando sempre preferência ao cuidado dessas complicações. "O paciente deve estar livre de problemas periodontais, como tártaro e gengivite, sem cáries, sejam pequenas ou grandes, e sem nenhuma reabilitação protética, como blocos ou pontes fixas", ressalta o especialista.

O que elas podem causar ao tratamento

O profissional avisa: só se faz movimentação ortodôntica em um periodonto saudável. Isso significa que gengivas e ossos alveolares devem estar livres de qualquer inflamação e infecção. Robson afirma que este cenário acaba prejudicando muito o rumo de toda terapia. "A movimentação do aparelho, naturalmente, já produz uma pequena inflamação local, sendo assim, o quadro inflamatório ou infeccioso pode piorar levando à interrupção do tratamento", atenta. 

Cáries e tratamentos endodônticos pendentes também afetam o andamento das estruturas. Até porque os dentes que estão nessas condições apresentam uma doença ativa, e o bráquete acaba dificultando bastante a restauração do elemento lesionado. Além disso, procedimentos como reabilitações protéticas devem ser feitas com antecedência pelo mesmo motivo, caso contrário, o processo será ainda mais trabalhoso. "O aparelho ortodôntico, muitas vezes, tem que ser parcialmente removido para a confecção de peças protéticas, o que atrasa o tratamento", explica.

A importância desse cuidado prévio

Um ciclo ortodôntico deve começar quando a boca estiver pronta para receber todo o acessório. De outra forma, os problemas se acumulariam, sendo bem difícil ou até inviável levar as duas terapias (ortodôntica e clínica) de uma forma saudável e bem feita. Pretende colocar aparelho? Robson orienta. "Procure primeiro seu dentista e faça uma bela revisão da parte clínica, depois siga tranquilo seu tratamento ortodôntico. Sua boca e tudo que há nela agradecem", finaliza.