Ele está presente nas mesas de quase todos os restaurantes. Geralmente ao lado dos sachês de sal e açúcar, o palito de madeira costuma ser a primeira opção de quem quer retirar rapidamente aquela sujeirinha que se prendeu entre os dentes logo após a refeição. Agora, mesmo que ele pareça um aliado tão bom quanto o fio dental, é preciso ter prudência. Com a ajuda do dentista Ariovaldo Stefani, vamos explicar o porquê.

Esse item, sozinho, não remove todas as sujeiras

É verdade que, em emergências, o palito de dente é capaz de salvar qualquer um de constrangimentos. O problema é que, na prática, ele não é o mais indicado para resolver qualquer situação. O especialista reforça que, para se livrar de sujeiras mais difíceis e manter um controle efetivo da placa bacteriana, a escovação completa será sempre o procedimento mais indicado. “O palito serve apenas como um complemento à escovação dental, e não para limpar toda a superfície”, esclarece.

De acordo com Ariovaldo, os espaços entre os dentes, por vezes, necessitam da ajuda de um complemento extra, pois as cerdas da escova não penetram em todos os cantinhos. Para uma limpeza eficiente, o bom e velho fio dental continua sendo recomendado. “Dependendo do tamanho do espaço existente, uma escova interdental também é indicada”, complementa o dentista.

Tenha cuidado com o manuseio

Por ser um item sempre à mão e de fácil manuseio, é difícil abolir de vez o uso do palito de dente. De qualquer maneira, é importante reforçar que ele não deve ser um hábito. “Os riscos, na verdade, estão mais relacionados com a forma de utilização. Usar um palito pressionando e esfregando de forma intensa a gengiva pode causar esfolamento e consequente retração gengival”, atenta Ariovaldo. Não adianta tirar a sujeira e ganhar um problema bucal, certo? Portanto, todo cuidado é pouco. Cuide do seu sorriso com as ferramentas certas e evite incômodos no futuro.