Fazer um curso superior nem sempre é fácil. O percurso da graduação costuma ter seus altos e baixos. Entretanto, estudar o que gosta pode ser prazeroso, ainda mais quando podemos ajudar outras pessoas. Na Odontologia não é diferente. Por isso, três estudantes foram convidados para falar dessa formação. Maria Caroline Guimarães, Raphaela Lisboa e Vitor Vasconcelos dividiram com o Sorrisologia as experiências e expectativas dessa futura profissão.

Por que Odontologia?

A odontologia chegou de formas diferentes para cada um desses estudantes. Maria Caroline, 19, está no 2º período da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conta que, após uma conversa com sua mãe, descobriu que seu caminho era na área de saúde, abrindo mão do curso de ciências biológicas.

Vitor, 23, é filho de dentista e não demorou muito para perceber que seu destino era trilhar o mesmo caminho do seu pai. Quando passou a trabalhar com ele, no mesmo consultório, e ter contato diretamente com os pacientes, o estudante descobriu verdadeiramente a sua vocação e agora está no 4º período da Universidade do Grande Rio (Unigranrio).

Já Raphaela, 21, está no 6º período do Centro Universitário de Volta Redonda Fundação Oswaldo Aranha (Unifoa). Após realizar um tratamento odontológico, seu dentista despertou sua curiosidade pela profissão e, assim, ela trocou a graduação de administração pela de odontologia. E garante que não se arrependeu.

Estudantes já pensam nas especializações que a Odontologia oferece

A Odontologia permite diferentes especializações e sempre tem aquela que encanta mais, e cada estudante já pensou sobre o assunto. Vitor diz que vai optar pela Implantodontia e Prótese, pelo fato de poder reabilitar um paciente e dar a ele um novo sorriso, mas não só isso, também acredita que desse jeito é possível devolver a confiança e autoestima das pessoas. “Até porque acredito que o sorriso é um cartão de visitas”.

Por mais que esteja no início do curso, Maria Caroline acha interessante a área de bucomaxilofacial. Já Raphaela não tem nada decidido, mas admite que se apaixonou pela especialização em Oncologia. “É simplesmente magnífico você poder diagnosticar e ajudar a salvar a vida de uma pessoa”, conta. Ela ainda compreende que a profissão está muito além de tratar problemas bucais. “Seu dentista, ao examinar você, está observando toda a sua mucosa e face, e isso é muito importante, pois várias doenças do corpo se manifestam na cavidade bucal. Então, o que me fascina é esse leque que existe na profissão”.

De olho no futuro profissional

Quando perguntados onde se viam com a futura profissão, Vitor e Raphaela esperam poder realizar sempre um bom trabalho. “Eu penso em poder ajudar o máximo de pessoas que eu puder, tanto na estética e funcionamento, quanto na saúde. E espero poder realizar isso sempre da melhor forma”, almeja a aluna. Vitor além de querer ser um profissional bem-sucedido e reconhecido, tem a expectativa de poder passar seus conhecimentos para outros amigos de profissão. Enquanto Maria Carolina se vê seguindo uma carreira pública ou militar.

Odontologia: inspiração diária

Ser dentista é mais do que tratar dos dentes e isso os três estudantes já perceberam. Cuidar da saúde bucal é também questão de bem-estar, logo, poder ajudar os pacientes nesse sentido é um combustível que os move. “A minha inspiração é poder dar para as pessoas um novo sorriso, devolver a autoestima perdida”, revela Vitor.

Maria Caroline busca motivação todo dia ao acompanhar o trabalho de pessoas formadas e buscar opiniões dos colegas que estão se formando. “Isso me ajuda a saber que realmente vou gostar do que vou fazer futuramente”. Pôr em prática o aprendizado desses anos todos de dedicação é recompensador. Para Raphaela, a inspiração é levar saúde e qualidade de vida para as pessoas. “Fora o fato de poder ajudar a restaurar e manter sorrisos saudáveis para que as pessoas possam sair por aí distribuindo risos aos outros sem medo”, finaliza.