Você convive com o problema há um tempo e os reflexos são inegáveis. Lidar com o bruxismo, na prática, se tornou mais complicado do que parecia. Por causa dele, o sono não é mais o mesmo e, além disso, sintomas como dores de cabeça e desgaste nos dentes já viraram velhos conhecidos. Mas será que vai ser assim para sempre? A dentista Rhianna Barreto explica como é possível controlar o problema.

Minimizando impactos

De acordo com a profissional, o quadro de bruxismo é definido pela Academia Americana de Dor Orofacial como uma atividade parafuncional que inclui o ranger, apertar ou esfregar os dentes entre si, podendo acontecer durante o dia ou à noite. Segundo Rhianna, o problema é frequentemente associado ao estresse emocional, fatores psicológicos, nutricionais e hereditários.

Essa condição, infelizmente, não tem cura, mas tem tratamento. A ideia é minimizar ao máximo os possíveis impactos que ela possa causar como fraturas, doenças periodontais, sensibilidade dentária, mobilidade dos dentes e até mesmo problemas na articulação temporomandibular (ATM).

A melhor maneira de enfrentar o bruxismo

Assim que começarem as desconfianças sobre a presença da doença, o primeiro passo deve ser procurar um dentista especialista no assunto. Ele é quem analisará os sinais e começará a investigar junto ao paciente de que forma e com que intensidade o problema tem se manifestado.

Mas por ser um problema ligado a fatores emocionais, além de procurar ajuda na parte física, é importante aliar os cuidados com o bem-estar. “Acredita-se que buscar o controle do estresse e mudar de estilo de vida possa conduzir à melhora do quadro clínico”, explica a profissional.

Cuidados durante o dia e durante a noite

Quando se fala do bruxismo diurno, Rhianna ressalta que é possível ter controle sobre a parafunção de maneira consciente. “A maioria dos pacientes pensa que o normal é ter os dentes em contato durante a maior parte do dia, mas não é”, explica. A posição maxilo-mandibular mais confortável é a que os dentes da parte de cima e de baixo ficam levemente separados.

Agora, se o assunto é o bruxismo noturno, uma maneira de amenizar o problema é buscar ao máximo um sono de qualidade. Os pacientes, segundo a dentista, devem ser orientados a realizar uma espécie de “higiene do sono”, que consiste em respeitar a hora certa para dormir e acordar, além de buscar uma noite em que a sensação ao acordar seja de descanso físico e mental.

Tratamento

“Existem diversos tratamentos, que podem ser indicados, mas sempre de acordo com o tipo e intensidade do bruxismo. O controle geralmente é feito por uma equipe multidisciplinar que envolve dentista, fonoaudiólogo e psicólogo”, ressalta Rhianna. Assim, dependendo do caso, o controle da doença pode envolver o uso de placas, toxina botulínica, remédios e até mesmo terapia para o controle do stress e da ansiedade.

“Tomando todas essas medidas e procurando o tratamento adequado, o paciente pode manter a doença sob controle de forma praticamente imperceptível, tendo qualidade de vida e não prejudicando dentes, músculos e articulações”, finaliza.