Há diversas doenças que podem surgir durante a infância ou na fase adulta. O bruxismo é um exemplo delas. É importante que seja logo diagnosticado para dar início ao tratamento adequado, a fim de evitar consequências tanto para saúde bucal, como geral. O distúrbio, que é muito comum em pacientes crianças, também é comumente notado durante a estação do inverno. E existe uma explicação para isso. A dentista Sílvia Reis tira dúvidas sobre o assunto.

O que é bruxismo infantil?

De acordo com dados de um estudo publicado no “Journal of Dentistry for Children”, aproximadamente 40% das crianças possuem o hábito de ranger ou apertar os dentes. São essas as principais características do bruxismo, que pode acontecer durante o dia ou à noite, no decorrer do sono. Caso não seja resolvido, o problema pode desencadear outros incômodos aos pequenos, como dentes amolecidos e sangramento da gengiva.

É verdade que o bruxismo é mais comum no inverno?

A dentista confirma que o bruxismo é mais comum durante o inverno. “O distúrbio está frequentemente associado a problemas respiratórios, que são mais prevalentes nessa época do ano”, explica ela. A ocorrência do bruxismo nessa estação está ligada a falta de ar causada pela obstrução das vias aéreas. Isto faz com que a atividade cerebral seja estimulada e a frequência cardíaca também, desencadeando o ranger de dentes.

Existe uma maneira de prevenir o bruxismo nessa época?

As causas do bruxismo são diversas, como estresse, fatores oclusais e genético. No entanto, a maioria dos casos são decorrentes de problemas respiratórios. Por isso, é mais comum a ocorrência do distúrbio durante o inverno, época de grande recorrência de doenças que obstruem uma boa e regular respiração. “Deve-se procurar um otorrinolaringologista para tratar ou prevenir as rinites e sinusites típicas dessa época do ano”, indica a profissional.

Maneiras para o paciente perceber o bruxismo

O bruxismo é um distúrbio que ocorre principalmente à noite durante o sono. Assim, normalmente acaba sendo relatado por pessoas que dormem próximas ao portador do ranger dos dentes, podendo ser criança ou adulto. Dessa maneira, é possível perceber o barulho característico. No entanto, nos casos mais intensos do transtorno pode ser observado reclamações de dores de cabeça ou na face, principalmente ao acordar. Além disso, ocorre um desgaste nos dentes, contribuindo para o diagnóstico pelo dentista. “Diante de qualquer um desses sinais, um profissional da odontologia deve ser procurado”, completa a ortodontista.