Produto Relacionado:

Na maioria dos casos, a mandíbula quebrada é resultado de um forte impacto no rosto. E esse quadro pode ser um grande problema para a saúde bucal. Além da dor na região, pode haver comprometimentos na mobilidade da mandíbula, afetando até mesmo a fala. Nos casos de pacientes na terceira idade, a atenção deve ser redobrada. É possível também que a mandíbula quebrada danifique os dentes? Veja as orientações do dentista Augusto Pary para solucionar esse problema.

Quais são os perigos da mandíbula quebrar na terceira idade?

Nesse caso, os perigos que circundam o quadro de mandíbula quebrada são os mesmos para os pacientes das mais diferentes idades. Entre essas possíveis consequências, o dentista destaca uma deformidade facial ou assimetria, problemas de encaixe entre as arcadas que dificultam a alimentação e causam dor ao comer ou abrir a boca. “Logicamente, dificuldades alimentares podem ter consequências mais graves para a terceira idade, pois estes podem ter uma saúde geral mais frágil e dependente de uma boa nutrição para mantê-la”, ressalta ele.

A mandíbula quebrada na terceira idade pode danificar os dentes?

Em casos como esse tipo de fratura, o profissional afirma que o trauma também pode comprometer os dentes. “A fratura em si não danifica os dentes, mas resulta em um mal encaixe entre as arcadas que é chamada de maloclusão”, explica Augusto. Além disso, a idade avançada do paciente pode atrapalhar na solução do quadro, em especial, quando trata-se de casos de falta de dentes na cavidade bucal, por exemplo, que podem reduzir o tamanho da mandíbula. Devido essa dificuldade, é preciso recorrer a cuidados especiais para solucionar. “Além disso, problemas de saúde geral podem dificultar a realização de um procedimento cirúrgico com segurança”, completa o dentista.

Mesmo com a idade avançada, é possível solucionar esses casos

Assim como destacado acima, o quadro de uma mandíbula quebrada traz diversos perigos para a saúde bucal. Por isso, o primeiro cuidado a ser tomado é procurar um profissional imediatamente. E mesmo em casos de pacientes com a idade avançada, o quadro pode ser solucionado. “Dependendo do caso, pode ser necessário um procedimento cirúrgico para reduzir a fratura, isto é, colocar os ossos nas devidas posições”, orienta o odontologista.

Essa solução tem como objetivo manter os ossos da face na posição correta, podendo contar com o auxílio de placas e parafusos de titânio. Entretanto, a atenção e cuidados nos procedimentos cirúrgicos devem ser redobrados em pacientes idosos, por conta dos possíveis e existentes problemas de saúde em geral, que são comuns da idade.