Fundamental no processo de mastigação, a língua é uma parte muito importante da cavidade bucal e também precisa ser higienizada. Ela deve ter um aspecto rosado e liso, o que significa que está saudável. Mas, algumas vezes quando comemos algum alimento muito quente, é normal acabar queimando-a. Para saber como lidar com essa situação, o Sorrisologia conversou com a dentista Carolina Zanesco sobre os riscos e tratamentos para língua queimada.

O que fazer quando queimar a língua?

A pele da cavidade bucal é uma das mais sensíveis se comparada a outras partes do corpo, resultando em uma dor mais intensa quando machucada. Isto pode ser observado em casos de queimadura de primeiro grau na boca. “É importante evitar neste período ingerir alimentos duros ou cortantes e preferir uma dieta mais pastosa”, orienta a profissional. E ainda não ingerir alimentos ou bebidas quentes, frios, picantes ou ácidos, pois podem piorar a lesão e dificultar o processo de cicatrização.

Geralmente, os sintomas duram de dois a três dias. “A água pode ser benéfica, pois ajuda a balancear o pH da boca, reduzindo os níveis de acidez. O líquido também ajuda a manter a pele e mucosas bem hidratadas”, comenta ela. Vale lembrar de não deixar a higiene bucal de lado, já que ajuda a prevenir infecções na área machucada.

Conheça os riscos da língua queimada

A gravidade do caso está diretamente ligada ao tipo de queimadura que o paciente está. “Uma queimadura de primeiro grau, por exemplo, causa dor, inchaço e vermelhidão na superfície da língua”, explica Carolina. Já as de segundo grau afetam a primeira e segunda camada de pele, podendo resultar em bolhas e ardência. E as de terceiro afetam os tecidos mais internos da língua, gravemente, provocando lesões de coloração branca ou preta, que é quando o tecido necrosou.

“A cavidade bucal é um local repleto de bactérias possíveis de colonizar as feridas provenientes
da queimadura e, assim, há grande risco de levar a uma infecção”, alerta a dentista. Outro possível risco é a perda do paladar na área queimada. No entanto, casos como esse podem ser revertidos, já que as papilas gustativas se regeneram de maneira rápida.

Fique atenta aos tratamentos para queimaduras na língua

Assim como destaca a odontologista, é comum que a lesão causada acabe se curando naturalmente. “Mas se os sintomas como dor e ardência não passarem, é importante ir ao dentista para ele indicar uma medicação e avaliar o caso”, indica ela. Dependendo da gravidade, o paciente pode ser usar remédios, como anestésicos tópicos e gel cicatrizante. “Para isto, deve-se consultar um cirurgião-dentista para que ele oriente em relação ao melhor tratamento”, ressalta Carolina.