Começar a sentir dor no dente é um incômodo que pode faltar palavras para descrever. No entanto, é de suma importância descobrir o real causador do incômodo, ou seja, qual é parte da estrutura que está com problemas. Entre as possibilidades, a dor intensa pode estar sendo provocada por uma inflamação no nervo do dente, a parte mais interna do elemento. O quadro é denominada como inflamação pulpar. Conversamos com a dentista Beatriz Bussab sobre o assunto para saber como deve ser feito o tratamento.

Você sabe o que é inflamação pulpar?

Assim como esclarece a odontologista, o dente é formado por três estruturas. A camada mais superficial é chamada de esmalte, já a interna é a dentina e, por fim, o nervo do dente é denominado como polpa dental. “A inflamação pulpar ocorre quando o dente sofre algum tipo de agressão, levando a uma vasodilatação da polpa”, explica ela. Por isso, o quadro, se não tratado corretamente, pode causar risco maiores ao paciente. “Esta inflamação pulpar, consequentemente, leva a uma dor intensa no dente latejando e, até mesmo, se difunde para uma área maior”, destaca Beatriz.

Como saber se estou com inflamação pulpar?

A inflamação pulpar é denominada também como pulpite. Como foi ressaltado acima, o caso traz muito desconforto ao paciente. “O diagnóstico da pulpite deve ser realizado pelo dentista através de testes térmicos e radiográficos”, comenta a profissional. Dessa maneira, é possível averiguar o quadro e caracterizá-lo como reversível ou irreversível.

Além disso, é importante apontar que a principal causa da pulpite é a cárie, como citou Beatriz. “A cárie tem a capacidade de destruir os tecidos duros do dente, e quando afeta a polpa gera o quadro de inflamação pulpar”, alerta. Outras possíveis causas da inflamação são trauma, pancada ou até mesmo diferenças bruscas de temperatura.

Saiba como é feito o tratamento da inflamação pulpar

O tratamento da pulpite precisa ser iniciado o quanto antes. “Quando no início da inflamação pulpar, deve-se remover a agressão, por exemplo a cárie, e tratar o dente para que haja uma reparação tecidual”, orienta a dentista. Por outro lado, nos casos em que a pulpite já está mais evoluída, sendo caracterizada como irreversível, o indicado é realizar a desvitalização do dente.

Beatriz explica que este consiste em um tratamento endodôntico, ou seja, é o popular procedimento conhecido como tratamento de canal. Por isso, assim que sentir qualquer incômodo ou desconforto, não deixe de marcar uma consulta e descobrir o verdadeiro causador para que a dor seja logo solucionada.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Beatriz Bussab - Cirurgiã-dentista
Osasco - SP
CRO-SP 125369