Mesmo que o paciente siga os cuidados com a higiene bucal, acidentes podem acontecer e ocasionar uma fratura dentária, necessitando assim de uma restauração dental. Além disso, a evolução de quadros de doenças bucais também é outra causa possível para esse tratamento. No entanto, o procedimento pode apresentar problemas, como as infiltrações. Você sabe como e por que isso acontece? A dentista Sofia Cabaleiro explicou mais sobre infiltrações da restauração dental e o riscos para a saúde bucal do paciente.

Como acontece uma infiltração na restauração dental?

A restauração dental é um processo indicado para os dentes que sofreram algum desgaste na estrutura. Esses episódios podem acontecer devido fatores como traumas, cárie, erosão dentária ou abfração. “Ele necessita ser restaurado para devolver a ele o formato perdido, e também proporcionar a devolução de função”, esclarece a profissional. Entretanto, a falta de selamento da restauração, provocado por pequenas fraturas ou trincas no material restaurador, podem resultar quadros de infiltrações.

A ingestão em excesso de alimentos ácidos, a higienização incorreta e a falta de fio dental são outras possíveis causas desses casos. “Infiltrações nas restaurações ocorrem quando as bordas do material restaurador (seja ele amálgama, resina, porcelana) apresentam perda de selamento favorecendo a entrada de resíduos que podem iniciar um processo carioso por debaixo daquela restauração”, define Sofia.

Infiltrações não detectadas podem levar à perda dentária

Assim como acontece em outros casos de problemas bucais, o diagnóstico precoce faz a diferença na solução do quadro. De acordo com a especialista, quando a infiltração na restauração dental não é detectada a tempo traz um grande risco para o paciente, podendo levar até a condenação do dente infectado. “Quando essas fendas são extensas e profundas - embora não visíveis a olho nu - os fluidos da cavidade oral, que contém bactérias, penetram nessa cavidade provocando manchamentos ou até mesmo as temidas cáries”, explica ela.

Em grande parte dos casos, os pacientes acabam não percebendo a evolução dessas cáries. Dessa maneira, a polpa, conhecida como o coração do dente, pode ser atingida e, a consequência disso é a necessidade de um tratamento de canal. No entanto, para aqueles que já tenham um canal tratado e apresentarem uma infiltração, o perigo é ainda maior. “Ele não sentirá dor e, em alguns casos, a cárie evolui de forma que destrói boa parte da estrutura dentária, e pode comprometer o dente”, alerta Sofia.

Como é possível solução as infiltrações na restauração dental?

Segundo a dentista, a primeira etapa para resolver o quadro de infiltração é definir a profundidade dela. “Quando identificada no início, um reparo na restauração pode ser viável”, indica a profissional. Entretanto, para casos mais evoluídos, a troca completa da restauração dental pode ser a saída necessária. Para os pacientes que possuem uma ou mais restaurações, a orientação é manter frequente as idas ao consultório, geralmente a cada seis meses. “Restaurações não duram pra sempre e, eventualmente, uma deverá ser substituída em algum momento e é importante que o profissional faça esse acompanhamento para identificar qualquer alteração ainda no início”, conclui Sofia.