Elas são manchinhas bem brancas que se destacam nos dentes e, provavelmente, te acompanham desde criança. A chamada fluorose dentária é uma alteração na cor da estrutura dental. Apesar de não ser grave, o cenário pode incomodar muito por questões de estética e seu principal agente causador é o flúor. Sim, você não leu errado. Apesar desse componente ter lá seus benefícios, quando usado em excesso no momento de formação dos dentes, pode ocasionar o problema. Conversamos com a dentista Lilian França para entender as formas de tratamento e se o clareamento dental pode ser considerado nestes casos.

O clareamento dental resolve manchas de fluorose dentária?

Antes de mais nada é importante saber que só seu dentista é capaz de indicar o melhor tratamento. Isso porque, dependendo de alguns fatores como grau de severidade do manchamento e idade do paciente, as saídas para o problema podem variar. “Casos mais brandos podem ser resolvidos com clareamento, pois ao clarear a cor do dente se aproxima com a cor da mancha, minimizando a percepção da mancha de fluorose”, explica Lilian. Contudo, a profissional reforça que na maioria dos casos é necessário associar o clareamento a outras alternativas.

Quais são as demais alternativas para tratamento de fluorose?

A fluorose dentária apresenta manchas brancas em sua forma mais branda, podendo ser observado também manchas amarronzadas em graus mais severos. As soluções passam por clareamento, microabrasão e tratamento restaurador para mascarar as manchas. "Muitos casos de clareamento apresentam bons resultados quando tratados por microabrasão, que é um procedimento que realiza o desgaste químico e mecânico superficial do esmalte dentário”, diz. Esse tipo de procedimento é indicado para dentes que apresentem manchas superficiais, como em muitos casos de fluorose. Para melhores resultados é possível associar a microabrasão ao clareamento. Já nos casos mais severos existe uma terceira opção. “É indicado o tratamento restaurador, seja com resina composta ou até mesmo restaurações indiretas de porcelana”, conta.

A prevenção começa na infância

A dentista explica que o uso em excesso do flúor no momento de formação dos dentes, ou seja, do terceiro mês de gestação ao terceiro ano de vida, pode ocasionar a formação de um esmalte defeituoso e manchado, condição conhecida como fluorose. Sabendo-se que o flúor é obtido na água, alimentos, suplementos, cremes dentais e enxaguatórios, a dica é ficar de olho com os excessos. “Deve-se ter atenção ao uso de pastas fluoretadas em crianças, em especial, nas menores de 6 anos, pois nessa idade é comum que ocorra alguma ingestão de creme dental”, alerta. Existem diversos cremes dentais disponíveis, com diferentes concentrações de flúor em sua composição. Não deixe de consultar um odontopediatra para saber o tipo de creme mais adequado para o seu filho.