Produto Relacionado:

Acidentes ou descuidos com a nossa saúde bucal, infelizmente, são comuns. Uma boa opção para corrigir esses casos e devolver a harmonia do sorriso é recorrer à técnica dos implantes dentários. Esse procedimento é uma ótima opção para pacientes que por algum motivo, tiveram perdas dentárias e desejam ter de volta a sensação de abrir um largo sorriso. Conversamos com a dentista Andreia Dahdal que explica em quais casos esse procedimento pode ser indicado, os principais cuidados que um paciente e as etapas desse procedimento.

Quais são os casos que o implante dentário é indicado?

Os implantes nos dentes podem ser indicados em diversas situações, desde os casos mais simples, de ausência de algum dente específico, até os casos mais complexos, onde os pacientes estão totalmente sem dentes e são usuários de próteses, também chamadas de dentaduras. Nos casos de implantes unitários, instala-se um pino em titânio para cada dente perdido e as coroas são confeccionadas individualmente, ou seja, cada implante estará conectado a um único dente artificial. “Quando o paciente tem a ausência de múltiplos dentes e a área sem dentes é maior, podemos indicar próteses parciais fixas sobre os implantes”, acrescenta a dentista.

Implante dentário é dividido em 3 etapas

Os implantes são dispositivos em titânio, instalados nos ossos maxilares como raízes artificiais, assim, eles passarão a servir como base para suporte das próteses dentárias, devolvendo tanto a função mastigatória quanto a estética. A profissional explica que o procedimento pode ser dividido em três etapas e cita cada um deles: “A primeira etapa consiste em uma investigação criteriosa da saúde bucal desse paciente. Depois, com o plano de tratamento fechado surgem a segunda e terceira fases, que são as etapas cirúrgica e protética”, explica a dentista.

Como é a parte cirúrgica e protética do tratamento?

A etapa cirúrgica é caracterizada pela instalação dos implantes nos ossos dos maxilares. O tamanho, largura, desenho e posição desses dispositivos em titânio são definidos previamente com um dentista especializado no momento do planejamento. “Depois da instalação cirúrgica, os implantes sofrem um processo que chamamos de osseointegração, quando as células do organismo reagem formando osso na superfície de titânio”, completa Andreia. Esse processo garante a conexão e fixação do pino no organismo e se torna completo após alguns meses. Já na etapa protética é quando acontece a confecção e a instalação dos dentes artificiais que serão conectados aos implantes.

Quais cuidados são necessários após a colocar o implante?

Aplicação de compressa gelada nas primeiras horas junto com uma alimentação fria, leve e pastosa, são as primeiras recomendações após a cirurgia de instalação de implantes. Elas ajudam a reduzir os riscos de inchaços, sangramentos e desconfortos para o paciente. “Depois de feita a cirurgia, é preciso que os pacientes estejam atentos aos cuidados com a higiene, pois o acúmulo de resíduos alimentares e placa bacteriana podem causar danos à gengiva e ao osso de suporte, comprometendo o sucesso do tratamento”, finaliza a profissional. É importante lembrar que as consultas de manutenção semestral são fundamentais para o controle do procedimento prevenindo problemas e aumentando a longevidade do tratamento.