Na hora de escolher a escova de dentes muitas pessoas dizem: "pode ser qualquer uma, é tudo a mesma coisa". Ou então são mais vaidosas e pensam: "vou comprar essa que é mais bonita". Mas não é assim que você tem que pensar na hora de escolher a escova ideal. São muitos os modelos, mas será que você entende, de fato, como funciona cada uma? Em caso de dúvida, não pense duas vezes em perguntar ao seu dentista qual ele considera o melhor para seu caso. Até lá, saiba de antemão quais são as diferenças entre os tipos de escovas.

Escova manual

A escova manual é a mais comum e, geralmente, a mais usada. Sua principal vantagem é não exigir nenhum tipo de fonte de energia para ser usada. No caso desse modelo, os dentistas recomendam que tenham cabeça arredondada e cerdas macias para que possam limpar todas as partes da boca. "Desde que bem manuseada, proporciona movimentos com maior precisão e mais eficiência, sem causar danos nas estruturas dentais e ao tecido gengival. Porém, dependendo do modelo, existem limitações do tamanho da cabeça, tipo de cerda e cabo", indica o dentista Marcelo Giannini.

Escova à pilha

No caso da escova à pilha é possível trocar as cerdas por meio de refis. Ainda que ela vibre limpando a boca de forma bastante ampla, o movimento deve ser feito da mesma forma que com a escova manual, e não apenas encostá-la nos dentes, já que não existe movimento rotatório que faça a limpeza por si só. 

Escova elétrica

Mais do que proporcionar maior remoção da placa bacteriana, a tecnologia da escova elétrica recarregável oferece uma série de recursos: formas especiais de escovação para os dentes sensíveis,benefícios para o branqueamento e massagem na gengiva são alguns deles. Ela limpa os dentes e gengiva por meio de movimentos rotatórios, sendo necessário apenas mantê-la sob a superfície do dente por um tempo e passar para o próximo lado."A escova elétrica é mais prática e facilita os hábitos de escovação, não necessita de movimentos manuais e possuem controle do tempo da escovação, vibração das cerdas e força aplicada. O movimento rotatório pode ajudar a remoção da placa bacteriana em alguns locais onde os dentes estão posicionados", comenta o profissional. 

Higiene bucal vai além da escovação

Para o profissional, independente da escova usada, o fio dental continua sendo indispensável. "Desde que utilizadas corretamente, as escovas promovem uma boa limpeza dos dentes. Entretanto, o uso do fio dental é necessário para finalizar a limpeza nos locais em que as escovas não conseguem alcançar", afirma.