Mesmo que o paciente tenha todos os cuidados necessários com sua saúde bucal, podem acontecer imprevistos. Como por exemplo, algum traumatismo que leve à perda de um ou mais dentes. Graças às possibilidades da odontologia, existem maneiras de contornar essa situação e trazer o sorriso de volta. No entanto, a falta de algum dente também pode estar relacionada a uma alteração genética, o que independe dos cuidados que o paciente possa ter ao longo da vida. Já ouviu falar sobre agenesia dentária? A dentista Heloísa Crisóstomo conversou com o Sorrisologia e explicou sobre esse quadro.

A falta de um ou mais dentes na arcada pode ter causa genética

A falta de um ou mais dentes na arcada dentária não causa apenas problemas estéticos. Esse quadro pode prejudicar a mastigação e até a deglutição, por exemplo. No entanto, a ausência de dente não acontece apenas em casos de acidentes. “A agenesia dentária é a ausência congênita de um ou mais dentes na arcada dentária”, explica a profissional. E ainda, esse quadro é genético e, por isso, pode, ou não, estar associado a alguma síndrome. A profissional ainda destaca que a agenesia dentária acontece, principalmente, na dentição permanente dos pacientes. “Em raros casos, ela acomete a dentição decídua (dentes de leite)”, completa Heloísa.

Entenda como é feito o diagnóstico desse quadro

Quando algum problema ou incômodo é percebido na sua saúde bucal, é extremamente importante consultar um dentista para descobrir o que está acontecendo, para logo tratar. E essa mesma conduta deve ser seguida nesse caso. “O diagnóstico é feito clinicamente, quando observamos que o paciente está com ausência dentária e, radiograficamente, constatamos se esse dente está incluso (dentro do osso) ou se ele realmente não existe”, esclarece a odontologista. Vale reforçar que, nos casos em que o dente está incluso, não é considerado como agenesia dentária.

Quais são os tratamentos para a agenesia dentária?

A consulta a um profissional é essencial para iniciar o tratamento adequado. Isto porque, após a avaliação clínica e radiográfica da arcada dentária, o dentista irá analisar qual é o melhor plano de tratamento para aquele caso individual. A escolha vai depender de diversos fatores relacionados aos pacientes, como por exemplo, verificar o espaço do dente que falta, podendo ser aberto ou fechado através do auxílio de aparelhos ortodônticos. “Quando o espaço ausente é pequeno, pode ser realizado tratamento estético restaurador com resina composta ou facetas de porcelanas”, comenta Heloísa.

Enquanto isso, nos casos com espaços maiores entre os dentes, é possível recorrer às opções protéticas, como por exemplo: implante dentário, próteses removíveis ou pontes fixas. “É necessária fazer uma avaliação e diagnósticos precoce para melhor opção de tratamento”, completa. E ainda, é importante ter atenção com os dentes da criança, se não estão nascendo ou, após cair, está demorando muito para aparecer. Assim, o recomendado é levá-la ao dentista para avaliar o quadro e, se necessário, já pedir uma radiografia. Quanto mais cedo o diagnóstico e início do tratamento, maiores as chances de sucesso no resultado.