Colocar aparelho ortodôntico é uma mudança que afeta de diversas formas a vida de uma pessoa. Alguns hábitos, como os alimentares por exemplo, precisam ser repensados para que o desempenho do tratamento seja o melhor possível. Até se adaptar a ele, pode ser um período um pouco complicado, mas com o tempo você se acostuma! Um fator importante quando se inicia o tratamento com aparelho são as consultas de manutenção. No entanto, quando chega o dia da visita ao profissional, você fica com preguiça ou então surge um evento de última hora. Não caia nessa! Entenda por que é importante não faltar a esse compromisso.

Saiba o tempo ideal entre consultas

Quando o paciente não usa aparelho, o tempo recomendado para realizar consultas de rotina costuma ser aproximadamente de 6 em 6 meses. Para aqueles que fazem o tratamento ortodôntico, esse tempo precisa ser mais curto. O problema que o paciente possui e o tipo de aparelho que ele usa vão influenciar no tempo entre uma consulta e outra. Quem usa os aparelhos mais comuns, em que o fio é preso pelas borrachinhas, as visitas costumam ser mensais. Em aparelhos autoligados, que são presos pelo braquete, visitas podem ser em intervalo de até 60 dias.

Manutenção do aparelho e controle do tratamento precisam ser feitos

Nas consultas de manutenção, o profissional troca os arcos ortodônticos e substitui as ligaduras elásticas ou as molas e elásticos. “As borrachas tendem a se degradar, perdendo sua força, por isso são necessárias as consultas uma vez por mês”, afirma o dentista Marcos de Borba. Ele irá conferir se está tudo certo com o aparelho, se o tratamento está cumprindo o resultado esperado, e se necessário, faz a correção de fatores fora do planejado. Além disso, quando o aparelho está recém colocado, a adaptação pode demorar, e o dentista é responsável por avaliar a situação e auxiliar no controle da dor.

Por que não posso faltar?

Para ter um tratamento de sucesso, o tempo das visitas indicado pelo seu dentista deve ser respeitado. Ele precisa fazer os ajustes necessários para que o aparelho faça seu trabalho corretamente, e a espera muito longa entre essa verificação pode resultar no prolongamento do uso do aparelho. “A falta de manutenção pode resultar no atraso do tratamento, porque a força deixa de ser aplicada”, alerta.

Além disso, a avaliação do dentista é importante para prevenir doenças e indicar bons hábitos. “A presença do paciente nas consultas de manutenção é fundamental”, afirma Marcos. Nelas, o profissional pode diagnosticar possíveis problemas como tártaro, acúmulo de placa bacteriana, problemas gengivais, entre outros, que podem não ser percebidos tão facilmente graças ao aparelho. Se os elásticos não forem substituídos no período ideal, podem acumular placa bacteriana, o que pode resultar em consequências para a saúde bucal, e também atrasar o tratamento.