Se um objeto de vidro trincar, como um copo ou prato, certamente logo é descartado, pois, apesar de não estar quebrado, ele oferece riscos ao usuário pela sua fragilidade, podendo de fato se quebrar a qualquer momento e até ferir a pessoa que está usando. O mesmo exemplo pode ser comparado ao caso de um dente trincado. Mesmo que não esteja quebrado ou cause qualquer tipo de sintoma incômodo, a situação não pode ser ignorada. A primeira providência a ser tomada nesse caso é procurar a ajuda de um dentista pelos riscos que pode oferecer à saúde bucal. O odontologista Augusto Pary recomenda como agir caso você perceba um dente molar trincado, e o que fazer para evitar esse problema!

O que pode provocar um quadro de molar trincado?

Acidentes envolvendo a boca ou o hábito de ranger os dentes, que chamamos de bruxismo, são fatores que podem levar ao quadro de um molar trincado. Mas o simples fato de morder um alimento mais duro, por exemplo, também pode provocar o problema. “Isso acontece porque os molares absorvem a maior parte da força durante a mastigação, e acabam mais sujeitos a trincas”, esclarece o profissional.

Sintomas e sinais de que o molar está trincado

A dor pode ser um sintoma, mas não necessariamente ela vai se manifestar. “Ela pode ser percebida somente após comer ou com o molar exposto a líquidos quente ou frio”, afirma o dentista. Mesmo se a pessoa não estiver sentindo dor, é essencial consultar um dentista para verificar o grau de gravidade da trinca. Caso seja superficial, ela pode afetar apenas esteticamente e não necessitar de tratamento. Por outro lado, fraturas mais graves precisam ser tratada, e podem causar até mesmo infecções.Além disso, na mordida, por exemplo, a força pode abrir mais a trinca e irritar o tecido mole de dentro do dente, que contém vários nervos e vasos sanguíneos”, explica ele.

O tratamento vai depender da gravidade da fratura

Caso a trinca seja do tipo superficial, que não ultrapassa o esmalte do dente, o tratamento pode não ser necessário. Já nos casos em que a fratura ultrapassa o esmalte é necessário tratar para evitar infecções ou fraturas mais profundas. Segundo Augusto, entre as opções estão o uso de coroa, tratamento de canal ou extração do dente. “O material da restauração, colagem, pode ser usado para restaurar a trinca; a coroa pode impedir que o caso se agrave”, esclarece.

No caso do tecido mole dentro do dente ter sido afetado, poderá ser necessário um tratamento de canal para remover o tecido contaminado, ajudando a salvar o dente. “Mas se a raiz já está contaminada, o dente não pode ser salvo e a solução é a sua extração”, afirma.

Alguns cuidados para evitar esse problema

Para evitar problemas decorrentes de um dente trincado, é fundamental consultar o dentista regularmente. “Ele poderá verificar as condições dos dentes e a existência de possíveis fraturas”, explica Augusto. Caso você sofra de bruxismo, o especialista vai recomendar placas para serem usadas à noite ou até durante o dia para evitar a possibilidade de rachaduras. Também é importante evitar morder com muita força alimentos duros, além de hábitos de distração como, por exemplo, morder a tampa de canetas ou outros objetos duros. Na prática de esportes, é importante não deixar de usar protetores bucais!

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Augusto Pary - Especializado no tratamento de malformações da face e cirurgia ortognática
Rio de Janeiro - RJ

CRO-RJ: 28865