Coloridas ou discretas, formando padrões ou com uma cor única, as borrachinhas são uma parte importante do aparelho ortodôntico. Elas exercem um papel fundamental para que se alcance os resultados desejados e, portanto, um sorriso perfeito. Além disso, escolher as combinações pode ser uma parte bem divertida do tratamento! Mesmo que você se arrependa da sua escolha, não tem problema, pois elas serão trocadas na próxima consulta. Mas de quanto em quanto tempo será que essa troca precisa e pode ser feita? A ortodontista Francine Figueiredo responde essa questão!

Conheça as partes que compõem o aparelho ortodôntico

O aparelho ortodôntico é formado por muitas partes, que juntas, atuam aplicando forças e movimentando os dentes para alcançar os resultados desejados. Um dos seus elementos mais conhecidos são os braquetes. “São acessórios colados sobre os dentes, que podem ser de aço inoxidável, resina ou cerâmica”, explica a profissional. Além disso, existem também os tubos metálicos, destinados aos molares superiores e inferiores, que podem ser colados ou soldados sobre as bandas ortodônticas.

As bandas, por sua vez, são anéis metálicos normalmente cimentados nos molares. Existem também os fios ortodônticos, que podem ser fabricados em aço inoxidável ou em outras ligas, e as ligaduras ou amarrilho metálico, que prendem o fio aos braquetes. Por último, mas não menos importantes, estão as ligaduras elásticas, ou “borrachinhas”, que também auxiliam nessa função, e precisam ser trocadas nas visitas de manutenção.

As borrachinhas devem ser trocadas de quanto em quanto tempo?

Quando você coloca aparelho ortodôntico, pode pensar que agora é só esperar ele fazer seu trabalho. Mas não é bem assim! As consultas de manutenção são essenciais para que o tratamento seja bem sucedido. Nelas, o ortodontista vai conferir se está tudo certo, fazer ajustes e corrigir possíveis problemas. Além disso, nesses encontros também são trocadas as borrachinhas, de acordo com a necessidade ortodôntica de cada pessoa. “Normalmente esta troca é realizada no mínimo a cada 21 dias”, afirma Francine. Esse é o tempo necessário para que se inicie o processo de movimentação ortodôntica sem que ocorram prejuízos aos dentes e tecidos adjacentes.

A troca precisa ser feita por um profissional!

Sim, é essencial que a troca dessas peças aconteça. Mas é ainda mais importante que ela seja feita somente no consultório pelo ortodontista. Caso você não possa comparecer à sua consulta de manutenção, remarque o mais rápido possível, mas nem pense em fazer esse processo em casa! “A troca indiscriminada tanto pelo paciente quanto por pessoa não habilitada pode ocasionar movimentos inadequados e excessivos, problemas periodontais severos e até perda dos dentes”, alerta a profissional.