Ele pode ser, ao mesmo tempo, o vilão e o mocinho. Não tem como negar que aparelhos fixos sejam tanto o sonho de consumo de uns, quanto o pesadelo de outros. Mesmo sendo apenas um dos tratamentos para corrigir e alinhar os dentes em um sorriso perfeito, eles também são equivocadamente vistos como acessórios. Esse uso apenas por diversão, e sem a orientação de um profissional, no entanto, é mais prejudicial do que parece. Para entender os riscos, a cirurgiã-dentista Viviane Fellows explica quais são os perigos e o que pode acontecer com o uso aleatório do aparelho ortodôntico.

Aparelhos não são enfeites

O sorriso metálico foi o queridinho nos anos 90 e até hoje é visto por muitas pessoas como um charme a mais. Ainda assim, independentemente de estar “na moda” ou não, quando não há necessidade odontológica, os aparelhos fixos não devem ser colocados. O motivo, segundo a dentista, é simples: “O tratamento ortodôntico visa o alinhamento e nivelamento dentário, com objetivo de corrigir problemas funcionais e estéticos. O uso de forma indevida pode prejudicar seriamente a saúde bucal”, explica.

O aparelho ortodôntico causa movimentação dentária

O grande problema é que a instalação de bráquetes unidos por elásticos e fios provoca a movimentação dos dentes. Viviane explica que esse tipo de tratamento requer um profissional capacitado na área de ortodontia, para um correto planejamento e execução do que se pretende conseguir como resultado. Quando não há o objetivo de nivelamento e alinhamento dentário, essa movimentação pode provocar perda óssea, retrações na gengiva e reabsorção radicular, que é quando a raiz de um dente perde volume.

É importante realizar um tratamento dentário com segurança

Atualmente, as intervenções feitas no consultório não visam somente a parte dentária, e sim o padrão ósseo de crescimento de cada paciente. “O ideal é ter sempre um profissional acompanhando o crescimento crânio facial, desde a infância até a puberdade, para possíveis intervenções e melhores tratamentos futuros”, esclarece.